26 de março de 2017

LOLA ALBRIGHT (1925-2017), Atriz

Resultado de imagem para lola albright


A atriz e cantora americana Lola Albright morreu no dia 23 de março, em Toluca Lake, Califórnia, aos 91 anos.

Depois de trabalhar como modelo, Albright seguiu para Hollywood e, a partir de 1947, fez pequenas participações não creditadas em comédias e musicais. Seu primeiro papel importante foi no clássico filme noir sobre luta de boxe "O Invencível" (Champion, 1949), de Mark Robson.

Sua carreira pode ser dividida em duas partes. Na primeira parte, que vai de 1947 a 1950, ela se ocupou exclusivamente do cinema e atuou em 14 filmes, entre os quais estão também "Sorveteiro em Apuros" (The Good Humor Man, 1950) e "Vingança que Se Desvanece" (Sierra Passage, 1950).

Na segunda fase, de 1951 a 1968, esteve mais presente na TV, aparecendo em 17 filmes, dos quais o mais importante foi a produção francesa "Jaula Amorosa" (Les félins, 1964), de René Clément. E ganhou o prêmio de melhor atriz no Festival de Berlim, pelo filme "Lord Love a Duck" (1966), que não teve lançamento no Brasil.

Entre os demais filmes desse período estão "Os Mensageiros do Perigo" (The Silver Whip, 1953), "Armadilha Amorosa" (The Tender Trap, 1955), "Rajadas de Paixão" (A Cold Wind in August, 1961) e "Talhado para Campeão" (Kid Galahad, 1962).

Seus dotes de cantora foram importantes para interpretar uma cantora de boate na série de TV "Peter Gunn" (1958-1961).

Há controvérsia sobre o ano de seu nascimento (1924 ou 1925) e sobre seu nome verdadeiro (Lois ou Lola). Para tais dados, recorremos aos saite IMDb, que consideramos mais confiável. Mas ficaremos de prontidão para fazer correções, caso o IMDb venha a alterar seus dados.

Lola Jean Albright nasceu em 20 de julho de 1925, em Akron, Ohio. Seus três casamentos terminaram em divórcio.

(Foto: Google Imagens.)

25 de março de 2017

TOMAS MILIAN (1933-2017), Ator

Resultado de imagem para tomas milian


O ator americano Tomas Milian morreu de AVC, no dia 23 de março, em Miami, Flórida. Tinha 84 anos.

Nascido em Cuba, Milian começou sua carreira nos EUA, onde estudou interpretação no Actors Studio, em Nova York, e participou de duas séries de TV, no final dos anos 1950. Nessa época, foi descoberto pelo cineasta italiano Mauro Bolognini, que o viu atuar em uma peça de teatro na Itália.

Na Itália, ele revelou sua versatilidade e se tornou uma estrela, participando de mais de 80 produções cinematográficas, sem se desligar totalmente nem do cinema nem da TV dos EUA. Trabalhou com alguns dos mais prestigiados diretores italianos do período.

Sua filmografia italiana inclui "A Longa Noite de Loucuras" (La notte brava, 1959) e "O Belo Antônio" (Il bell'Antonio, 1960), ambos de Mauro Bolognini, "Os Delfins" (I delfini, 1960), de Francesco Maselli, "Rapto" (L'imprevisto, 1961), de Alberto Lattuada, "Laura Nua" (Laura nuda, 1961), de Nicolò Ferrari, "Boccaccio 70" (Idem, 1962), de Luchino Visconti e outros, "Os Indiferentes" (Gli indifferenti, 1964), de Francesco Maselli, pelo qual ganhou um prêmio no Festival de Mar del Prata, na Argentina, "Mulheres no Front" (Le soldatesse, 1965), de Valerio Zurlini, "La Luna" (Idem, 1979), de Bernardo Bertolucci, que lhe deu o prêmio Fita de Prata de melhor ator coadjuvante, na Itália, e "Identificação de uma Mulher" (Identificazione di una donna, 1982), de Michelangelo Antonioni.

No período italiano, Milian atuou em mais de uma dezena de spaghetti westerns, dentre os quais se destacam "O Dia da Desforra" (La resa dei conti, 1966), "Quando os Brutos Se Defrontam" (Faccia a faccia, 1967), "Corre Homem, Corre" (Corri uomo corri, 1968), "Tepepa" (Idem, 1969) e "Companheiros" (Vamos a matar, compañeros, 1970).

De volta aos EUA, ele apareceu em 13 filmes, entre eles "Vingança" (Revenge, 1990), "JFK - A Pergunta que Não Quer Calar" (JFK, 1991), "Amistad" (Idem, 1997), "Traffic - Ninguém Sai Limpo" (Traffic, 2000), pelo qual foi agraciado com o prêmio coletivo de melhor elenco do Sindicato dos Atores da Tela, e "A Cidade Perdida" (The Lost City, 2005).

Tomás Quintín Rodríguez Milián nasceu em 3 de março de 1933, em Havana, Cuba. Era viúvo da atriz italiana Rita Valletti, com quem teve um filho, o ator Tomaso Milian Jr.

(Foto: Google Imagens.)

22 de março de 2017

ROBERT DAY (1922-2017), Diretor


Resultado de imagem para tarzan o magnifico


O diretor inglês Robert Day morreu no dia 17 de março, em Bainbridge Island, estado de Washington, EUA. Tinha 94 anos.

Day começou sua carreira no cinema como técnico em fotografia e logo passou a atuar como operador de câmera. Nesta função, trabalhou em 27 filmes, de 1947 a 1956, entre os quais "O Porto da Tentação" (Temptation Harbour, 1947), "Os Mortos Falam" (Silent Dust, 1949), "O Preço de uma Vida" (Give Us This Day, 1949), "Nosso Natal em Família" (The Holly and the Ivy, 1952) e "Outro Homem" (The Man Between, 1953).

Robert Day passou à direção a partir de 1956, trabalhando mais para a TV que para o cinema. Da sua filmografia constam apenas 17 títulos, entre eles "Corredores de Sangue" (Corridors of Blood, 1958), "O Prisioneiro Vagabundo" (Two Way Stretch, 1960), "Tarzan, o Magnífico" (Tarzan the Magnificent, 1960), "Os Três Desafios de Tarzan" (Tarzan's Three Challenges, 1963), "Tarzan e o Vale do Ouro" (Tarzan and the Valley of Gold, 1966) e "Tarzan e o Grande Rio" (Tarzan and the Great River, 1967), que foi filmado no Brasil.

Robert Day nasceu em 11 de setembro de 1922, em Sheen, subúrbio de Londres, Inglaterra. Era viúvo da atriz americana Dorothy Provine (1935-2010), com quem teve um filho, o ator Robert Day Jr. Era irmão do operador de câmera Ernest Day (1927-2006).

21 de março de 2017

LAWRENCE MONTAIGNE (1931-2017), Ator

Resultado de imagem para lawrence montaigne


O ator característico americano Lawrence Montaigne morreu no dia 17 de março, nos EUA, de causas naturais. Tinha 86 anos.

Montaigne começou sua carreira no cinema no início dos anos 1950 e apareceu mais em produções estrangeiras, especialmente europeias, como "Os Mongóis" (I mongoli, Itália/França, 1961) e "Legenda Histórica" (I briganti italiani, Itália/França, 1961).

Depois que atuou em "Fugindo do Inferno" (The Great Escape, EUA, 1963), um grande sucesso de público, a TV lhe abriu as portas para uma bem-sucedida carreira.

Sua filmografia conta 20 títulos, entre os quais estão também "Tobruk" (Idem, 1967), "A Montanha Enfeitiçada" (Escape to Witch Mountain, 1975) e "Os Amores de Lady Chatterley" (Young Lady Chatterley, 1977).

Lawrence Montaigne nasceu em 26 de fevereiro de 1931, em Nova York, mas foi criado na Itália. Foi bailarino na juventude e fez parte da Hollywood Bowll Ballet Company. Falava vários idiomas.

(Foto: Google Imagens.)

8 de março de 2017

FRED WEINTRAUB (1928-2017), Produtor

Resultado de imagem para fred weintraub


O produtor americano Fred Weintraub morreu no dia 5 de março, em Los Angeles, em decorrência do mal de Parkinson. Tinha 88 anos.

Weintraub era mais conhecido como produtor de "Operação Dragão" (Enter the Dragon, 1973), filme que popularizou as lutas marciais e tornou Bruce Lee um fenômeno em Hollywood, e "O Grande Lutador" (Battle Creek Brawl, 1980), primeiro filme de outro lutador chinês, Jackie Chan, em Hollywood.

Sua filmografia inclui outros 29 títulos, mas a quantidade não resultou em qualidade. Entre seus filmes menos ruins estão "Fim de uma Angústia" (Rage, 1972), "Jones, o Faixa Preta" (Black Belt Jones, 1974), "O Segredo de uma Promessa" (The Promise, 1979) e "Tom Horn" (Idem, 1980).

Fred Weintraub nasceu em 27 de abril de 1928, em Nova York. Deixou viúva e quatro filhos. Era pai da roteirista Sandra Weintraub.

(Foto: Bruce Lee ao lado de Fred Weintraub. Google Imagens.)

4 de março de 2017

MIRIAM COLON (1936-2017), Atriz

Resultado de imagem para miriam colon


A atriz americana Miriam Colon morreu no dia 3 de março, em Nova York, de infecção pulmonar. Tinha 80 anos.

Talentosa e premiada atriz de teatro, Miriam estudou interpretação em Nova York, no Actors' Studio, do qual se tornou membro vitalício. Na mesma cidade, ela criou o Puerto Rican Travelling Theater (Teatro Porto-Riquenho Itinerante). Em 2015, recebeu do presidente Barack Obama a Medalha Nacional de Artes, por sua contribuição ao teatro.

No cinema, ficou mais conhecida por interpretar Mama Montana, a mãe de Al Pacino, no filme "Scarface" (Idem, 1983), e ter aparecido em dois faroestes protagonizados por Marlon Brando: "A Face Oculta" (One-Eyed Jacks, 1961) e "Sangue em Sonora" (The Appaloosa, 1966).

Da sua filmografia de 28 filmes, são dignos de nota também "O Sexto Homem" (The Outsider, 1961), "Vida de Cidade" (City of Hope, 1991), "A Casa dos Espíritos" (The House of the Spirits, 1993), "Sabrina" (Idem, 1995) e "Lone Star - A Estrela Solitária" (Lone Star, 1996).

Nasceu Míriam Colón Valle em 20 de agosto de 1936, em Ponce, Porto Rico. Deixou viúvo o ator Fred Valle, marido do seu terceiro casamento.

(Foto: Google Imagens.)

27 de fevereiro de 2017

BILL PAXTON (1955-2017), Ator


Resultado de imagem para bill paxton


O ator e diretor americano Bill Paxton morreu no dia 25 de fevereiro, de complicações em uma cirurgia cardíaca. Tinha 61 anos.

Paxton iniciou sua carreira no cinema no meado da década de 1970, mas só atingiu o estrelato quando interpretou o principal papel de "Um Passo em Falso" (One False Move, 1992). Sua atuação em "Apollo 13 - Do Desastre ao Triunfo" (Apollo 13, 1995) lhe valeu o prêmio coletivo de melhor elenco do Sindicato de Atores da Tela.

Sua filmografia conta mais de 60 filmes, dos quais apenas dois terços são conhecidos no Brasil. Destes, merecem destaque também "Recrutas da Pesada" (Stripes, 1981), "O Exterminador do Futuro" (The Terminator, 1984), "Aliens, o Resgate" (Aliens, 1986), "Tombstone - A Justiça Está Chegando" (Tombstone, 1993), "Titanic" (Idem, 1997), "A Mão do Diabo" (Frailty, 2001), do qual foi também o diretor, "No Limite do Amanhã" (Edge of Tomorrow, 2014) e "O Abutre" (Nightcrawler, 2014).

Ele dirigiu também o belo filme "O Melhor Jogo da História" (The Greatest Game Ever Played, 2005), sem sua participação no elenco.

William Paxton nasceu em 17 de maio de 1955, em Fort Worth, Texas. Era filho do ator John Paxton (1920-2011). Deixou viúva a mulher do seu segundo casamento, com quem tinha dois filhos.

(Foto: Google Imagens.)

Oscar 2017: 'Moonlight - Sob a Luz do Luar' Vence, em Noite de Trapalhadas


Resultado de imagem para oscar


A 89ª cerimônia do Oscar, prêmio concedido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, de Hollywood, aconteceu no dia 26 de fevereiro, em Los Angeles. Foi uma noite de trapalhadas. Na homenagem aos falecidos do cinema, noticiou-se a morte da figurinista australiana Janet Patterson, mostrando a foto da produtora Jan Chapman. Mas o mais grave viria no final. A dupla de atores veteranos Warren Beatty e Faye Dunaway errou ao anunciar o prêmio de melhor filme, trocando "Monlight - Sob a Luz do Luar", o verdadeiro vencedor, por "La La Land - Cantando Estações". O erro se deu por causa de troca de envelopes. "La La Land - Cantando Estações" foi o filme mais premiado, com seis estatuetas.
A seguir, os ganhadores na categoria longa-metragem:

1 - Melhor Filme: "Moonlight - Sob a Luz do Luar" (Moonlight, EUA, 2016), de Barry Jenkins

2 - Melhor Diretor: Damien Chazelle, por "La La Land - Cantando Estações" (La La Land, EUA/Hong Kong, 2016)

3 - Melhor Ator: Casey Affleck, por "Manchester à Beira-Mar" (Manchester by the Sea, EUA, 2016), de Kenneth Lonergan

4 - Melhor Atriz: Emma Stone, por "La La Land - Cantando Estações"

5 - Melhor Ator Coadjuvante: Mahershala Ali, por "Moonlight - Sob a Luz do Luar"

6 - Melhor Atriz Coadjuvante: Viola Davis, por "Um Limite entre Nós" (Fences, EUA, 2016), de Denzel Washington

7 - Melhor Roteiro Original: Kenneth Lonergan, por "Manchester à Beira-Mar"

8 - Melhor Roteiro Adaptado: Barry Jenkins e Tarell Alvin McCraney, por "Manchester à Beira-Mar"

9 - Melhor Fotografia: Linus Sandgren, por "La La Land - Cantando Estações"

10 - Melhor Montagem: John Gilbert, por "Até o Último Homem" (Hacksaw Ridge, Austrália/EUA, 2016), de Mel Gibson

11 - Melhor Figurino: Colleen Atwood, por "Animais Fantásticos e Onde Habitam" (Fantastic Beasts and Where to Find Them, Reino Unido/ EUA, 2016), de David Yates

12 - Melhor Maquiagem e Cabelo: Alessandro Bertolazzi, Giorgio Gregorini e Christopher Allen Nelson, por "Esquadrão Suicida" (Suicide Squad, EUA, 2016), de David Ayer

13 - Melhor Trilha Musical: Justin Hurwitz, por "La La Land - Cantando Estações"

14 - Melhor Canção Original: Justin Hurwitz, Benj Pasek e Justin Paul, por "City of Stars", do filme "La La Land - Cantando Estações"

15 - Melhor Design de Produção: David Wasco e Sandy Reynolds-Wasco, por "La La Land - Cantando Estações"

16 - Melhor Edição de Som: Sylvain Bellemare, por "A Chegada" (Arrival, EUA, 2016), de Denis Villeneuve

17 - Melhor Mixagem de Som: Kevin O'Connell, Andy Wright, Robert Mackenzie e Peter Grace, por "Até o Último Homem"

18 - Melhores Efeitos Visuais: Robert Legato, Adam Valdez, Andrew R. Jones e Dan Lemmon, por "Mogli, o Menino Lobo" (The Jungle Book, Reino Unido/EUA, 2016), de Jon Favreau

19 - Melhor Filme em Língua Estrangeira: "O Apartamento" (Forushande, Irã/França, 2016), de Asghar Farhadi

20 - Melhor Filme de Animação: "Zootopia" (Idem, EUA, 2016), de Byron Howard, Rich Moore e Jared Bush

21 - Melhor Documentário: "O. J.: Made in America" (Sem título no Brasil, EUA, 2016), de Ezra Edelman.

26 de fevereiro de 2017

Independent Spirit Awards 2017: Os Vencedores


Resultado de imagem para independent spirit awards


O grande vencedor dos Independent Spirit Awards foi "Moonlight - Sob a Luz do Luar", que conquistou cinco prêmios, inclusive os de melhor filme e melhor diretor. Essa premiação, que dá destaque ao cinema americano independente, aconteceu no dia 25 de fevereiro, em Los Angeles.
A seguir, os principais premiados:

1 - Melhor Filme: "Moonlight - Sob a Luz do Luar" (Moonlight, EUA, 2016)

2 - Melhor Diretor: Barry Jenkins, por "Moonlight - Sob a Luz do Luar"

3 - Melhor Ator: Casey Affleck, por "Manchester à Beira-Mar" (Manchester by the Sea, EUA, 2016), de Kenneth Lonergan

4 - Melhor Atriz: Isabelle Huppert, por "Elle" (Idem, França/Alemanha/ Bélgica, 2016), de Paul Verhoeven

5 - Melhor Ator Coadjuvante: Ben Foster, por "A Qualquer Custo" (Hell or High Water, EUA, 2016), de David Mackenzie

6 - Melhor Atriz Coadjuvante: Molly Shannon, por "Other People" (Sem título no Brasil, EUA, 2016), de Chris Kelly

7 - Melhor Roteiro: Barry Jenkins e Tarell Alvin McCraney, por "Moonlight - Sob a Luz do Luar"

8 - Melhor Fotografia: James Laxton, por "Moonlight - Sob a Luz do Luar"

9 - Melhor Montagem: Joi McMillon e Nat Sanders, por "Moonlight - Sob a Luz do Luar".

Framboesa de Ouro 2017: A Lista dos Ganhadores


Resultado de imagem para framboesa de ouro


A 37ª edição dos antiprêmios Framboesa de Ouro (em inglês, Razzie) aconteceu no dia 25 de fevereiro, em Los Angeles. Os principais destaques foram os filmes "Batman vs Superman - A Origem da Justiça" e "Hillary's America: The Secret History of the Democratic Party", com quatro troféus cada um.
A seguir, a lista dos infelizes ganhadores, exceto Mel Gibson, que foi considerado redimido:

1 - Pior Filme: "Hillary's America: The Secret History of the Democratic Party" (Sem título no Brasil, EUA, 2016), de Dinesh D'Souza e Bruce Schooley

2 - Pior Ator: Dinesh D'Souza, por "Hillary's America: The Secret History of the Democratic Party"

3 - Pior Atriz: Becky Turner (como Hillary Clinton), por "Hillary's America: The Secret History of the Democratic Party"

4 - Pior Ator Coadjuvante: Jesse Eisenberg, por "Batman vs Superman - A Origem da Justiça" (Batman v Superman: Dawn Justice, EUA, 2016), de Zack Snyder

5 - Pior Atriz Coadjuvante: Kristen Wiig, por "Zoolander 2" (Idem, EUA, 2016), de Ben Stiller

6 - Pior Combo da Tela: Ben Affleck e Henry Cavill, em "Batman vs Superman - A Origem da Justiça"

7 - Pior Diretor: Dinesh D'Souza e Bruce Schooley, por "Hillary's America: The Secret History of the Democratic Party"

8 - Pior Roteiro: Chris Terrio e David S. Goyer, por "Batman vs Superman - A Origem da Justiça"

9 - Pior Prequela, Remake, Adaptação ou Sequência: "Batman vs Superman - A Origem da Justiça"

10 - Prêmio Razzie Redeemer (para quem já foi indicado e se redimiu): Mel Gibson.

24 de fevereiro de 2017

JOHN GAY (1924-2017), Roteirista


Resultado de imagem para john gay


O roteirista e dramaturgo americano John Gay morreu no dia 4 de fevereiro, em Santa Monica, Califórnia, aos 92 anos.

Gay iniciou sua carreira em 1949, na TV, para a qual trabalhou durante cinco décadas. Sua participação no cinema rendeu 18 filmes, ao longo de 20 anos, de 1958 a 1977.

Da sua filmografia, merecem ser lembrados "O Mar É Nosso Túmulo" (Run Silent Run Deep, 1958), "Vidas Separadas" (Separate Tables, 1958), "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse" (The Four Horsemen of the Apocalypse, 1962), "Papai Precisa Casar" (The Courtship of Eddie's Father, 1963), "Nas Trilhas da Aventura" (The Hallelujah Trail, 1965), "Uma Face para Cada Crime" (No Way to Treat a Lady, 1968), "Quando É Preciso Ser Homem" (Soldier Blue, 1970) e "Uma Lição para Não Esquecer" (Sometimes a Great Notion, 1970).

John Gay nasceu em 1º de abril de 1924, em Whittier, Califórnia. Era divorciado e tinha uma filha.

(Foto: Google Imagens.)

21 de fevereiro de 2017

RICHARD SCHICKEL (1933-2017), Crítico de Cinema


Resultado de imagem para richard schickel


O crítico de cinema americano Richard Schickel morreu no dia 18 de fevereiro, em Los Angeles, após sofrer vários derrames cerebrais. Tinha 84 anos.

Um dos mais notáveis críticos de cinema dos EUA, Schickel começou escrevendo críticas para a revista Life, no início dos anos 1960. Em 1972, passou a escrever para a revista Time, onde permaneceu até 2010. Em 2004, ele recebeu um prêmio honorário do Conselho Nacional da Crítica.

Ele escreveu 37 livros sobre cinema, entre biografias, história e teoria cinematográfica. Entre seus biografados estão os atores Gary Cooper, Cary Grant, James Cagney e Marlon Brando, e os diretores D. W. Griffith, Elia Kazan, Woody Allen e Clint Eastwood.

Richard Schickel realizou para a TV mais de 30 documentários sobre personalidades do cinema. Entre eles, há uma série de seis documentários de 1973, denominados "Os Homens que Fizeram o Cinema", sobre os diretores Vincente Minnelli, Raoul Walsh, King Vidor, Howard Hawks, George Cukor e Alfred Hitchcock.

Richard Warren Schickel nasceu em 10 de fevereiro de 1933, em Milwaukee, Wisconsin. Era viúvo da mulher do seu segundo casamento. Tinha dois filhos do primeiro casamento.

(Foto: Google Imagens.)

GERALD HIRSCHFELD (1921-2017), Diretor de Fotografia


Resultado de imagem para gerald hirschfeld


O diretor de fotografia americano Gerald Hirschfeld morreu no dia 13 de fevereiro, em Ashland, Oregon, de causas naturais. Tinha 95 anos.

Hirschfeld começou sua carreira no final dos anos 1940 como cinegrafista. Era membro da Sociedade Americana de Cinegrafistas, que lhe concedeu o Prêmio do Presidente em 2007.

Sua filmografia conta mais de 30 filmes, dentre os quais se destacam "Limite de Segurança" (Fail-Safe, 1964), "O Incidente" (The Incident, 1967), "Quando Nem um Amante Resolve" (Diary of a Mad Housewife, 1970), "O Jovem Frankenstein" (Young Frankenstein, 1974), "Um Cara Muito Baratinado" (My Favorite Year, 1982) e "Sou ou Não Sou?" (To Be or Not to Be, 1983).

Gerald Hirschfeld nasceu em 25 de abril de 1921, em Nova York. Deixou viúva a supervisora de roteiros e continuísta Julia Taylor. Era pai do cinegrafista Alec Hirschfeld.

(Foto: Google Imagens.)

20 de fevereiro de 2017

WGA Awards 2017: 'Moonlight - Sob a Luz do Luar' É o Vencedor


Resultado de imagem para wga awards


A 69ª edição dos prêmios do Writers Guild of America (Sindicato dos Roteiristas da América) aconteceu no dia 19 de fevereiro, em Los Angeles. E o filme "Moonlight - Sob a Luz do Luar" conquistou o troféu de melhor roteiro original. Com isso, o filme se tornou o favorito para ganhar o Oscar nessa categoria.
A seguir, os vencedores da área do cinema:

1 - Melhor Roteiro Original: Barry Jenkins e Tarell Alvin McCraney, por "Moonlight - Sob a Luz do Luar" (Moonlight, EUA, 2016), de Barry Jenkins

2 - Melhor Roteiro Adaptado: Eric Heisserer e Ted Chiang, por "A Chegada" (Arrival, EUA, 2016), de Denis Villeneuve

3 - Melhor Roteiro de Documentário: Robert Kenner, Eric Schlosser, Brian Pearle e Kim Roberts, por "Command and Control" (Sem título no Brasil, EUA, 2016), de Robert Kenner.