21 de agosto de 2017

JERRY LEWIS (1926-2017), Ator, Comediante

Resultado de imagem para jerry lewis


O ator e comediante americano Jerry Lewis morreu no dia 20 de agosto, em Las Vegas, Nevada, de causas naturais. Tinha 91 anos.

Lewis, o último grande comediante de Hollywood, era um gênio, uma lenda e um ícone. Fez de tudo um pouco e bem: comediante, ator, produtor, roteirista, diretor e cantor. Geralmente cantava em tom desagradável em seus filmes para fazer graça. Mas era cantor de verdade e gravou discos que chegaram às paradas de sucesso.

Sua parceria com Dean Martin, que fazia papel de "escada", durou de 1946 a 1956, trabalhando no teatro, rádio, TV e cinema. De 1949 a 1956, fizeram juntos 17 filmes, dentre os quais se destacam "O Biruta e o Folgado" (The Stooge, 1951), "Morrendo de Medo" (Scared Stiff, 1953), no qual aparece a brasileira Carmen Miranda, "A Farra dos Malandros" (Living It Up, 1954), "O Meninão" (You're Never Too Young, 1955), "Artistas e Modelos" (Artists and Models, 1955) e "Ou Vai ou Racha" (Hollywood or Bust, 1956).

Após Dean Martin romper a parceria, Lewis estrelou seis filmes em seguida, três dos quais ele mesmo produziu, que são "O Delinquente Delicado" (The Delicate Delinquent, 1957), "Bancando a Ama-Seca" (Rock-a-Bye Baby, 1958) e "O Rei dos Mágicos" (The Geisha Boy, 1958).

A partir de 1960, além de atuar e produzir, ele passou a dirigir seus filmes, cuidando também do roteiro, na maioria das vezes em parceria com Bill Richmond. Os filmes mais importantes que dirigiu são "O Mensageiro Trapalhão" (The Bellboy, 1960), "O Terror das Mulheres" (The Ladies Man, 1961), "O Mocinho Encrenqueiro" (The Errand Boy, 1961), "O Professor Aloprado" (The Nutty Professor, 1963), "O Otário" (The Patsy, 1964), "Uma Família Fuleira" (The Family Jewels, 1965) e "O Fofoqueiro" (The Big Mouth, 1967).

Ao mesmo tempo, continuou a atuar em filmes roteirizados e dirigidos por outros como "Cinderelo sem Sapato" (Cinderfella, 1960), "Detetive Mixuruca" (It's Only Money, 1962), "Errado pra Cachorro" (Who's Minding the Store?, 1963), "Bagunceiro Arrumadinho" (The Disorderly Orderly, 1964) e "Boing Boing" (Idem, 1965).

Embora tenha mantido sua carreira de ator no cinema até recentemente, não há outros filmes memoráveis, exceto "O Rei da Comédia" (The King of Comedy, 1982), de Martin Scorsese, e "Um Sonho Americano" (Arizona Dream, 1993), de Emir Kusturica.

A título de curiosidade, vale mencionar que fez uma papel na comédia brasileira "Até que a Sorte Nos Separe 2" (2013), de Roberto Santucci.

Mais cultuado na França do que em qualquer outro país, recebeu do governo francês o título de Comandante da Legião da Honra, em 2006. A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood lhe concedeu, em 2009, o prêmio humanitário Jean Hersholt, por ter feito durante décadas um programa para arrecadação de fundos para combater a distrofia muscular, tendo arrecadado mais de dois bilhões de dólares.

Em 1960, ganhou duas estrelas na Calçada da Fama de Hollywood, uma por seu trabalho no cinema, a outra pelo trabalho na TV.

Nasceu Jerome Joseph Levitch em 16 de março de 1926, em Newark, Nova Jersey. Deixou viúva a atriz SanDee Pitnick, mulher do seu segundo casamento, com quem tinha uma filha. Tinha seis filhos do primeiro casamento, todos homens.

(Foto: Dean Martin e Jerry Lewis. Google Imagens.)

19 de agosto de 2017

SONNY LANDHAM (1941-2017), Ator

Resultado de imagem para sonny landham


O ator americano Sonny Landham morreu no dia 17 de agosto, em Lexington, Kentucky, de insuficiência cardíaca congestiva. Tinha 76 anos.

Após atuar em duas dezenas de filmes pornôs na década de 1970, Landham ganhou um pequeno papel em "Warriors - Os Selvagens da Noite" (The Warriors, 1979), de Walter Hill, diretor com quem trabalharia outras vezes. Nos anos 1980, beneficiado por seus dotes físicos, passou a ter presença constante em filmes de ação.

Dentre sua filmografia, destacam-se "Glória" (Gloria, 1980), "O Confronto Final" (Southern Comfort, 1981), "Poltergeist - O Fenômeno" (Poltergeist, 1982), "48 Horas" (48 Hrs., 1982), "O Predador" (Predator, 1987) e "Condenação Brutal" (Lock Up, 1989).

William Landham nasceu em 11 de fevereiro de 1941, em Canton, Georgia. Seus três casamentos terminaram em divórcio. Tinha um filho do segundo casamento e um do terceiro. Em 2016, ele perdeu as pernas num acidente de carro.

(Google Imagens.)

18 de agosto de 2017

PAULO SILVINO (1939-2017), Ator, Roteirista

Resultado de imagem para paulo silvino


O ator, comediante e roteirista brasileiro Paulo Silvino morreu de câncer em 17 de agosto, no Rio de Janeiro. Tinha 78 anos.

Silvino era antes de tudo um excelente comediante da TV. No cinema, foi ator de chanchadas, "Sherlock de Araque" (1957) e "Minha Sogra É da Polícia" (1958), de pornochanchadas, "Com a Cama na Cabeça" (1972) e "Um Edifício Chamado 200" (1973), e de comédias recentes, "Muita Calma Nessa Hora 2" (2014), "Até que a Sorte Nos Separe 3 - A Falência Final" (2015) e "Gostosas, Lindas e Sexies" (2017).

Ele participou do roteiro de oito pornochanchadas, entre as quais "Café na Cama" (1973), "O Padre que Queria Pecar" (1975), "Os Melhores Momentos da Pornochanchada" (1978) e "Assim Era a Pornochanchada" (1978).

Uma peça teatral sua deu origem ao filme "Ascensão e Queda de um Paquera" (1970), que foi sucesso de público e crítica.

Paulo Ricardo Campos Silvino nasceu em 27 de julho de 1939, no Rio de Janeiro. Era divorciado e tinha três filhos. Era pai dos atores Flávio Silvino e João Paulo Silvino.

(Foto: Google Imagens.)

14 de agosto de 2017

JOSEPH BOLOGNA (1934-2017), Ator, Roteirista

Resultado de imagem para joseph bologna


O ator, roteirista, diretor e dramaturgo americano Joseph Bologna morreu de câncer no dia 13 de agosto, em Duarte, Califórnia. Tinha 82 anos.

Bologna estreou no cinema como ator em "Feitos um para o Outro" (Made for Each Other, 1971), cujo roteiro escreveu com sua mulher, Renée Taylor. Escreveram também o roteiro de "As Mil Faces do Amor" (Lovers and Other Strangers, 1970), com base em peça de autoria de ambos.

Atuou em mais 25 filmes, entre os quais estão "Um Assalto Genial" (Cops and Robbers, 1973), "Um Cara Muito Baratinado" (My Favorite Year, 1982), "Feitiço do Rio" (Blame It on Rio, 1984), "A Dama de Vermelho" (The Woman in Red, 1984), "O Cadilac Azul" (Coupe de Ville, 1990), "O Paizão" (Big Daddy, 1999) e "O Clube da Feliz Idade" (The Boynton Beach Bereavement Club, 2005).

Ele codirigiu com a mulher algumas produções, inclusive "Duas Famílias em Pé de Guerra" (Love Is All There Is, 1996), de cujo roteiro ambos também participaram.

Joseph J. Bologna nasceu em 30 de dezembro de 1934, em Nova York. Deixou viúva a atriz, roteirista e diretora Renée Taylor, com quem tinha um filho, o ator, diretor e roteirista Gabriel Bologna.

(Foto: Google Imagens.)

10 de agosto de 2017

GLEN CAMPBELL (1936-2017), Músico e Ator

Resultado de imagem para glen campbell


O músico e ator americano Glen Campbell morreu no dia 8 de agosto, em Nashville, Tennessee, de Alzheimer. Tinha 81 anos.

Campbell era um grande músico. Compunha, cantava, tocava violão e guitarra. Acompanhou grandes nomes da música americana em gravações, inclusive Frank Sinatra, para citar só um exemplo. Quarenta de seus álbuns chegaram às paradas de sucesso. Ele vendeu 40 milhões de discos e ganhou 12 álbuns de ouro.

Como ator, sua maior glória foi ter aparecido ao lado de John Wayne em "Bravura Indômita" (True Grit, 1969). Mas Wayne não gostou da sua atuação e disse que Campbell só conseguiu o papel para cantar a canção-tema e fazer dela um sucesso e, assim, ajudar a promover o filme.

Ele apareceu em outros seis filmes, quase sempre como músico ou cantor, entre os quais estão "O Gênio do Mal" (Baby the Rain Must Fall, 1965), "Norwood É uma Parada" (Norwood, 1970) e "Punhos de Aço - Um Lutador de Rua" (Any Wich Way You Can, 1980).

Glen Travis Campbell nasceu em 22 de abril de 1936, em Delight, Arkansas. Em 1994, publicou sua autobiografia com o título da sua canção de maior sucesso, "Rhinestone Cowboy". Deixou viúva a mulher do seu quarto casamento, com quem tinha três filhos. Tinha outros seis filhos dos casamentos anteriores.

(Foto: Google Imagens.)

8 de agosto de 2017

HARUO NAKAJIMA (1929-2017), Ator

Resultado de imagem para haruo nakajima


O ator japonês Haruo Nakajima morreu de pneumonia, no dia 7 de agosto, aos 88 anos.

Após dar vida ao monstro do filme "Godzilla" (Gojira, 1954), Nakajima se tornou especialista em interpretar monstros no cinema japonês. Só com a fantasia de Godzilla ele apareceu em mais uma dúzia de filmes, entre eles "Godzilla, o Monstro do Mar" (Godzilla, King of the Monsters!, 1956), "King Kong vs. Godzilla" (Kingu Kongu tai Gojira, 1962), "Godzilla Contra a Ilha Sagrada" (Mosura tai Gojira, 1964), "Ghidrah, o Monstro Tricéfalo" (San daikaijû: Chikyû saidai no kessen, 1964).

No papel de outros monstros, ele esteve em diversos filmes, entre os quais "Varan, o Monstro do Oriente" (Daikaijû Baran, 1958), "Mothra, a Deusa Selvagem" (Mosura, 1961), "Frankenstein Contra o Mundo" (Furankenshutain tai chitei kaijû Baragon, 1965), "A Invasão dos Gargântuas" (Furankenshutain no kaijû: Sanda tai Gaira, 1966), "A Fuga de King Kong" (Kingu Kongu no gyakushû, 1967), "O Despertar dos Monstros" (Kaijû sôshingeki, 1968).

Nakajima atuou também despido de fantasia de monstro, e em bons filmes como "Os Sete Samurais" (Shichinin no samurai, 1954), "A Fortaleza Escondida" (Kakushi-toride no san-akunin, 1958), "Aventuras de Guerreiros Vagabundos" (Sengoku gunto-den, 1959) e "Mergulhando para o Inferno" (Taiheiyo no tsubasa, 1963).

Como era faixa-preta em artes marciais, em 19 dos filmes em que atuou, ele foi o coreógrafo das proezas realizadas em cena, tendo havido casos em que ele mesmo executou as façanhas.

Haruo Nakajima nasceu em 1º de janeiro de 1929, em Sakata, Japão. Era viúvo e tinha uma filha.

(Foto: Google Imagens.)

7 de agosto de 2017

TY HARDIN (1930-2017), Ator

Resultado de imagem para ty hardin


O ator americano Ty Hardin morreu no dia 3 de agosto, em Huntington Beach, Califórnia. Tinha 87 anos.

Hardin estreou no cinema como coadjuvante em "Mensagem do Planeta Desconhecido" (The Space Children, 1958), ficção-científica dirigida pelo especialista em filmes de baixo orçamento Jack Arnold. Por ser bonitão e possuidor de bom físico, foi muitas vezes escalado para papéis do tipo ganhão. Após estrelar a série de TV faroeste "Bronco" (1958-1962), passou a ter seu nome associado a esse gênero.

Prosseguiu no cinema como coadjuvante até meados da década de 1960. Desta fase, destacam-se "Casei-me com um Monstro" (I Married a Monster from Outer Space, 1958), "Mortos que Caminham" (Merrill's Marauders, 1962), "O Herói do PT-109" (PT 109, 1963), "Suplícios do Destino" (Wall of Nose, 1963) e "Uma Batalha no Inferno" (Battle of the Bulge, 1965).

Da segunda metade dos anos 1960 em diante, ele trabalhou mais no cinema europeu, às vezes como protagonista, inclusive em faroestes italianos. Entre os filmes desta fase estão "Os Bravos Não Se Rendem" (Custer of the West, Reino Unido/França/Espanha/EUA, 1967), "Olho por Olho, Dente por Dente" (Il giorno del giudizio, Itália/Reino Unido, 1971) e "Um Homem Chamado Sacramento" (Sei iellato, amico hai incontrato Sacramento, Itália, 1972).

Nasceu Orison Whipple Hungerford Jr. em 1º de janeiro de 1930, em Nova York. Serviu o Exército durante a Guerra da Coreia, no início dos anos 1950. A partir dos anos 1990, praticamente aposentado como ator, envolveu-se com organizações nacionalistas radicais, inclusive armadas, cujo objetivo seria defender seu país. Deixou viúva a mulher do seu oitavo casamento. Tinha sete filhos de cinco diferentes casamentos.

(Foto: Google Imagens.)

2 de agosto de 2017

SAM SHEPARD (1943-2017), Ator e Roteirista

Resultado de imagem para sam shepard


O ator, roteirista e dramaturgo americano Sam Shepard morreu no dia 27 de julho, em Midway, Kentucky, de ELA (esclerose lateral amiotrófica). Tinha 73 anos.

Mais que ator e roteirista, Shepard foi um dramaturgo bem-sucedido, que escreveu mais de 40 peças, uma das quais ganhou o Pulitzer, um dos mais importantes prêmio literários dos EUA, em 1979.

Como ator, ele apareceu em mais de 50 filmes, dentre os quais se destacam "Cinzas no Paraíso" (Days of Heaven, 1978), "Ressurreição" (Resurrection, 1980), "Frances" (Idem, 1982), "Os Eleitos" (The Right Stuff, 1983), "O Viajante" (Homo Faber, 1991), "Neve Sobre Cedros" (Snow Falling on Cedars, 1999), "Falcão Negro em Perigo" (Black Hawk Down, 2001), "Diário de uma Paixão" (The Notebook, 2004), "Estrela Solitária" (Don't Come Knocking, 2005), "O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford" (The Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford, 2007), "Amor Bandido" (Mud, 2012) e "Álbum de Família" (August: Osage County, 2013).

Como roteirista, participou de 12 filmes, alguns dos quais de diretores prestigiados como Michelangelo Antonioni, em "Zabriskie Point" (Idem, 1970), Wim Wenders, em "Paris, Texas" (Idem, 1984) e "Estrela Solitária" (Don't Come Knocking, 2005), e Robert Altman, em "Louco de Amor" (Fool for Love, 1985).

Sanuel Shepard Rogers nasceu em 5 de novembro de 1943, em Fort Sheridan, Illinois. Quando jovem, participou de rodeios, montando touros e cavalos xucros. Era divorciado da atriz O-Lan Jones, com quem tinha um filho. Tinha um casal de filhos com a atriz Jessica Lange, com quem viveu de 1982 a 2009. Ultimamente, mantinha um relacionamento com a atriz Mia Kirshner.

(Foto: Google Imagens.)

31 de julho de 2017

JEANNE MOREAU (1928-2017), Atriz

Resultado de imagem para jeanne moreau


A atriz francesa Jeanne Moreau faleceu hoje, em Paris, de causas naturais. Tinha 89 anos.

Uma das atrizes francesas mais belas e talentosas de todos os tempos, Moreau atuou em filmes dos mais importantes diretores de seu país, como Jacques Becker, em "Grisbi, Ouro Maldito" (Touchez pas au grisbi, 1954); Louis Malle, em "Ascensor para o Cadafalso" (Ascenseur pour l'échafaud, 1958), "Os Amantes" (Les amants, 1958), que lhe deu o prêmio de melhor atriz no Festival de Veneza, na Itália, "Trinta Anos Esta Noite" (Le feu follet, 1963) e "Viva Maria!" (Idem, 1965), que lhe valeu o BAFTA, o mais importante prêmio do cinema britânico, de melhor atriz estrangeira; François Truffaut, em "Os Incompreendidos" (Les quatre cents coups, 1959), "Jules e Jim - Uma Mulher para Dois" (Jules et Jim, 1962) e "A Noiva Estava de Preto" (La mariée était en noir, 1968); Roger Vadim, em "As Ligações Amorosas" (Les liaisons dangereuses, 1959); Jacques Demy, em "A Baía dos Anjos" (La baie des anges, 1963); e François Ozon, em "O Tempo que Resta" (Le temps qui reste, 2005).

Ela foi requisitada também por diretores americanos, para atuar em produções europeias ou hollywoodianas, como Joseph Losey, em "Eva" (Idem, 1962) e "Cidadão Klein" (Mr. Klein, 1976); Orson Welles, em "O Processo" (Le procès, 1962) e "Falstaff - O Toque da Meia-Noite" (Falstaff (Chimes at Midnight), 1965); Carl Foreman, em "Os Vitoriosos" (The Victors, 1963); John Frankenheimer, em "O Trem" (The Train, 1964); William A. Fraker, em "Um Homem Difícil de Matar" (Monte Walsh, 1970); e Elia Kazan, em "O Último Magnata" (The Last Tycoon, 1976).

Ela atuou também em filmes de diretores de diferentes países europeus, como Peter Brook, em "Duas Almas em Suplício" (Moderato cantabile, 1960), pelo qual foi premiada como melhor atriz no Festival de Cannes, na França; Michelangelo Antonioni, em "A Noite" (La notte, 1961); Luis Buñuel, em "O Diário de uma Camareira" (Le journal d'une femme de chambre, 1964), pelo qual ganhou o prêmio de melhor atriz no Festival de Karlovy Vary, na República Tcheca; Tony Richardson, em "Chamas de Verão" (Mademoiselle, 1966) e "O Marinheiro de Gibraltar" (The Sailor from Gibraltar, 1967); Rainer Werner Fassbinder, em "Querelle" (Idem, 1982); Wim Wenders, em "Até o Fim do Mundo" (Bis ans Ende der Welt, 1991); Theodoros Angelopoulos, em "O Passo Suspenso da Cegonha" (To meteoro vima tou pelargou, 1991); e Manoel de Oliveira, em "O Gebo e a Sombra" (Gebo et l'ombre, 2012).

Por sua extensa e brilhante carreira no cinema, que começou em 1949 e se encerrou em 2015, ela recebeu mais de dez prêmios honorários, seja do cinema francês, seja de diferentes festivais internacionais. Sua filmografia conta mais de 100 filmes, entre os quais um brasileiro: "Joanna Francesa" (1973), de Carlos Diegues.

Jeanne Moreau nasceu em 23 de janeiro de 1928, em Paris. Seus três casamentos terminaram em divórcio. Tinha um filho do primeiro casamento, o ator Jérôme Richard.

(Foto: Google Imagens.)


23 de julho de 2017

JOHN HEARD (1945-2017), Ator

Resultado de imagem para john heard


O ator americano John Heard morreu no dia 21 de julho, em Palo Alto, Califórnia. Tinha 72 anos.

Heard começou sua carreira no cinema em 1977 e atuou em quase 100 filmes, mas ficou mais conhecimento por ter aparecido nos filmes "Esqueceram de Mim" (Home Alone, 1990) e "Esqueceram de Mim 2 - Perdido em Nova York" (Home Alone 2: Lost in New York, 1992).

Tendo tido um começo promissor, era de se esperar que Heard conquistasse o estrelato. E o fato de ter conseguido sucessivamente bons papéis em produções de destaque apontavam nessa direção. Eis alguns exemplos: "Amor sobre Rodas" (Rush It, 1978), "Caso de Assassinato" (Cutter's Way, 1981), "Depois de Horas" (After Hours, 1985), "O Regresso para Bountiful" (The Trip to Bountiful, 1985), "Rebelião em Milagro" (The Milagro Beanfield War, 1988), "Quero Ser Grande" (Big, 1988), "Amigas para Sempre" (Beaches, 1988) e "Tempo de Despertar" (Awakenings, 1990).

Entretanto, ele não conseguiu chegar lá. Depois de 1990, as produções de maior prestígio escassearam, tornando-se difícil para ele equilibrar a equação de ter bons papéis em bons filmes. Quanto melhor o filme, menor o papel e vice-versa, cabendo-lhe apenas a condição de simples coadjuvante. Daí em diante, os melhores filmes são "Na Linha de Fogo" (In the Line of Fire, 1993), "Pollock" (Idem, 2000), "Más Companhias" (The Chumscrubber, 2005), "O Verdadeiro Amor" (Sweet Land, 2005) e "O Grande Debate" (The Great Debaters, 2007).

John Matthew Heard Jr. nasceu em 7 de março de 1945, em Washington D.C. Seus três casamentos terminaram em divórcio. Tinha um casal de filhos do segundo casamento, e um filho da relação extramatrimonial com a atriz Melissa Leo.

(Foto: Google Imagens.)

22 de julho de 2017

CLAUDE RICH (1929-2017), Ator

Resultado de imagem para claude rich


O ator e dramaturgo francês Claude Rich morreu de câncer no dia 20 de julho, em Orgeval, França. Tinha 88 anos.

Prestigiado ator de teatro, cinema e TV, Rich estreou no cinema com o filme "As Grande Manobras" (Les grandes manoeuvres, 1955), de René Clair. Teve uma longa e profícua carreira cinematográfica e trabalhou com alguns dos mais importantes cineastas franceses e italianos. Sua filmografia conta perto de 90 filmes, mas só uma pequena parte deles teve lançamento no Brasil.

Dentre seus filmes conhecidos no Brasil, destacam-se "Câmara Ardente" (La chambre ardente, 1962), "Testamento de um Gângster" (Les tontons flingueurs, 1963), "Paris Está em Chamas?" (Paris brûle-t-il?, 1966), "Coisas da Vida" (Oscar, 1967), "A Noiva Estava de Preto" (La mariée était en noir, 1968), "Eu Te Amo, Eu Te Amo" (Je t'aime, je t'aime, 1968), pelo qual ganhou o prêmio de melhor ator no Festival de San Sebastián, na Espanha, "Aquele Amor com Tanto Amor" (Con quale amore, con quanto amore,  1970), "A Mulher que Inventou o Rebolado" (Nini Tirabusciò, la donna che inventò la mossa, 1970), "Stavisky" (Idem, 1974), "Adeus, Bruto" (Adieu poulet, 1975), "Capitão Conan" (Capitaine Conan, 1996), "Concorrência Desleal" (Concorrenza sleale, 2001) e "E Se Vivêssemos Todos Juntos?" (Et si on vivait tous ensemble?, 2011).

Ele recebeu o prêmio César, o mais importante do cinema francês, de melhor ator, pelo filme "Le souper" (1992), que permanece desconhecido no Brasil.

Claude Rich nasceu em 8 de fevereiro de 1929, em Strasbourg, França. Escreveu várias peças de teatro. Deixou viúva a atriz Catherine Rich, com quem tinha duas filhas. Era pai da atriz Delphine Rich.

(Foto: Google Imagens.)


17 de julho de 2017

MARTIN LANDAU (1928-2017), Ator

Resultado de imagem para martin landau


O ator americano Martin Landau morreu no dia 15 de julho, em Los Angeles, aos 89 anos.

Após estudar interpretação no Actor's Studio, em Nova York, Landau começou sua carreira no teatro e, de 1953 em diante, na TV. Sua estreia no cinema se deu no filme "Os Bravos Morrem de Pé" (Pork Chop Hill, 1959), de Lewis Milestone. Em seguida, e até 1966, atuou em filmes de diretores prestigiados como "Intriga Internacional" (North by Northwest, 1959), de Alfred Hitchcock, "Cleópatra" (Cleopatra, 1963), de Joseph L. Mankiewicz, "A Maior História de Todos os Tempos" (The Greatest Story Ever Told, 1965), de George Stevens, "Nas Trilhas da Aventura" (The Hallelujah Trail, 1965), de John Sturges, e "Nevada Smith" (Idem, 1966), de Henry Hathaway.

Depois, ele enfrentou um período de filmes sofríveis. Até que, no final dos anos 1980, surgiram novamente bons papéis e, com eles, os prêmios. Os melhores filmes dessa fase são "Tucker - Um Homem e Seu Sonho" (Tucker: The Man and His Dream, 1988), de Francis Ford Coppola, pelo qual ganhou o Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante, "Crimes e Pecados" (Crimes and Misdemeanors, 1989), de Woody Allen, "Ed Wood" (Idem, 1994), de Tim Burton, que lhe deu o Oscar de melhor ator coadjuvante, além de outro Globo de Ouro e diversos prêmios de associações de críticos de cinema de estados americanos.

Outros filmes interessantes dessa fase são "Arquivo X - O Filme" (The X Files, 1998), "Cartas na Mesa" (Rounders, 1998), "Cine Majestic" (The Majestic, 2001) e "Memórias Secretas" (Remember, 2015).

Em 1990, o Festival de Berlim, na Alemanha, concedeu-lhe um prêmio especial. E, em 2001, ganhou uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood.

Martin Landau nasceu em 20 de junho de 1928, em Nova York. Era divorciado da atriz Barbara Bain, com quem teve duas filhas, a atriz Juliet Landau e a faz-tudo no cinema Susan Landau Finch.

(Foto: Google Imagens.)

GEORGE A. ROMERO (1940-2017), Diretor

Resultado de imagem para george a. romero


O diretor americano George A. Romero morreu de câncer de pulmão, no dia 16 de julho, em Toronto, Canadá. Tinha 77 anos.

Considerado um renovador do terror no cinema, Romero se dedicou quase exclusivamente ao gênero, exercendo também as funções de roteirista, ator, produtor e montador. Seu único filme que não é de terror é "Cavaleiros de Aço" (Knightriders, 1981).

A sua filmografia como diretor inclui "A Noite dos Mortos-Vivos" (Night of the Living Dead, 1968), "Martin" (Idem, 1978), "Zombie - Despertar dos Mortos" (Dawn of the Dead, 1978), "Creepshow - Arrepio do Medo" (Creepshow, 1982), baseado em roteiro de Stephen King, "Dia dos Mortos" (Day of the Dead, 1985) e "Terra dos Mortos" (Land of the Dead, 2005).

Como ator, apareceu em vários de seus filmes e também em "O Silêncio dos Inocentes" (The Silence of the Lambs, 1991), de Jonathan Demme.

George Andrew Romero nasceu em 4 de fevereiro de 1940, em Nova York. Ultimamente vivia no Canadá, tendo se naturalizada cidadão canadense. Deixou viúva a mulher do seu terceiro casamento. Tinha um filho do primeiro casamento e dois do segundo. Era pai de George Cameron Romero e Tina Romero, que fazem de tudo um pouco no cinema, assim como o pai.

(Foto: Getty Images, via Google Imagens.)

11 de julho de 2017

JOE ROBINSON (1927-2017), Ator

Resultado de imagem para joe robinson


O ator inglês Joe Robinson morreu no dia 3 de julho, em Brighton, Inglaterra, aos 90 anos.

De uma família de lutadores, Robinson era lutador de judô e karatê antes de começar sua carreira no cinema, onde estreou fazendo um bom papel em "Rua da Esperança" (A Kid for Two Farthings, 1955), do prestigiado diretor inglês Carol Reed. Depois, apareceu em outros 18 filmes, mas só ganhou notoriedade por ter lutado com Sean Connery, dentro de um elevador, em "007- Os Diamantes São Eternos" (Diamonds Are Forever, 1971), com o qual encerrou sua carreira no cinema.

Da sua filmografia, merecem destaque também "Carícias Compradas" (The Flesh Is Weak, 1957), "Norman, o Marujo Maluco" (The Bulldog Breed, 1960), "Barrabás" (Barabbas, 1961) e "A Solidão do Corredor de Fundo" (The Loneliness of the Long Distance Runner, 1962).

Joseph William Robinson Harle nasceu em 31 de maio de 1927, em Newcastle-upon-Tyne, Inglaterra. Teve uma academia de artes marciais em Brighton. Seu irmão Doug Robinson, também lutador, fez carreira no cinema como dublê e ator.

(Foto: Joe Robinson e Sean Connery em "007 - Os Diamantes São Eternos". Google Imagens.)

9 de julho de 2017

ELSA MARTINELLI (1935-2017), Atriz

Resultado de imagem para elsa martinelli


A atriz italiana Elsa Martinelli morreu no dia 8 de julho, em Roma, aos 82 anos.

Martinelli passou de atendente de bar a modelo e, em seguida, a atriz em poucos anos. Foi assim. Ela era ainda adolescente e, por parecer ter mais idade do que na realidade, já trabalhava num bar quando foi descoberta pelo designer de moda italiano Roberto Capucci. Como modelo, foi trabalhar em Nova York e ganhou a capa da revista Life. O ator Kirk Douglas gostou da sua beleza exótica e a contratou para o primeiro filme da sua produtora Bryna, o faroeste "A Um Paso da Morte" (The Indian Fighter, 1955), no papel de uma índia com a qual ele, Douglas, tem um romance.

Por falta de novos papéis em Hollywood, seu contrato com a Bryna foi cancelado e ela voltou para a Itália, casou-se com um conde italiano e começou a frequentar a alta sociedade romana. Então, o prestigiado produtor Carlo Ponti tomou-a sob a sua proteção e passou a orientar a carreira dela no cinema, de sorte que seus papéis fossem variados e nunca estereotipados.

Seguiu-se uma série de produções italianas, americanas e europeias, com bons papéis para ela, como "Donatella" (Idem, Itália, 1956), pelo qual ganhou o prêmio de melhor atriz no Festival de Berlim, "Quatro Garotas, Quatro Destinos" (Four Girls in Town, EUA, 1957), "A Clandestina" (Manuela, Reino Unido, 1957), "A Longa Noite de Loucuras" (La notte brava, Itália/França, 1959), "Rosas de Sangue" (Et mourir de plaisir, França/Itália, 1960) e "Um Amor em Roma" (Un Amore a Roma, Itália/ França/Alemanha Ocidental, 1960).

Nos anos 1960, sua carreira ainda se manteve em alta, atuando em filmes de bons diretores. Eis alguns dignos de destaque: "Hatari!" (Idem, EUA, 1962), de Howard Hawks, "O Processo" (Le procès, França/ Alemanha Ocidental/Itália, 1962), de Orson Welles, "Gente Muito Importante" (The V.I.P.s, Reino Unido, 1963), de Anthony Asquith, "Atiro Primeiro, Pergunto Depois" (Je vous salue, máfia!, França/Itália, 1965), de Raoul Lévy, "A Décima Vítima" (La decima vittima, Itália/ França, 1965), de Elio Petri, e "A Amiga" (L'amica, Itália, 1969), de Alberto Lattuada.

A partir de 1970, sua carreira entrou em declínio, tendo aparecido em apenas mais sete filmes, nenhum digno de nota.

Nasceu Elsa Tia em 30 de janeiro de 1935, em Grosseto, Itália. Era viúva do ator Willy Rizzo (1928-2013), marido do seu segundo casamento. Tinha uma filha do primeiro casamento, a atriz Cristiana Mancinelli.

(Foto: Elsa Martinelli ao lado de Kirk Douglas, no filme "A Um Passo da Morte" - Google Imagens.)


4 de julho de 2017

SKIP HOMEIER (1930-2017), Ator


Resultado de imagem para skip homeier


O ator americano Skip Homeier morreu no dia 25 de junho, em Indian Wells, Califórnia. Tinha 86 anos.

Homeier começou sua carreira no cinema com apenas 14 anos, no drama "Sementes de Ódio" (Tomorrow, the World!, 1944), mas se adaptou melhor ao gênero faroeste, após atuar no clássico "O Matador" (The Gunfighter, 1950), de Henry King. Na sequência, apareceria em 31 filmes, 18 dos quais são faroestes.

Eis outros faroestes interessantes em que atuou: "Os Turbulentos" (The Last Posse, 1953), "Dinastia do Terror" (Dawn at Socorro, 1954), "Arizona Violento" (Ten Wanted Men, 1955), "A Lei do Revólver" (Stranger at My Door, 1956), "Montanhas em Fogo" (The Burning Hills, 1956), "O Resgaste do Bandoleiro" (The Tall T, 1957), "Cavalgada Trágica" (Comanche Station, 1960), "Abatendo Um a Um" (Showdown, 1963) e "Balas para um Bandido" (Bullet for a Badman, 1964).

Ele apareceu também em cinco filmes de guerra dignos de nota: "Até o Último Homem" (Halls of Montezuma, 1951), "O Corsário Maldito" (Sealed Cargo, 1951), "Baionetas Caladas" (Fixed Bayonets!, 1951), "Cabeça de Praia" (Beachhead, 1954) e "Entre o Céu e o Inferno" (Between Heaven and Hell, 1956).

George Vincent Homeier nasceu em 5 de outubro de 1930, em Chicago, Illinois. Deixou viúva a atriz Della Sharman, com quem tinha um filho, o ator Michael Homeier.

(Foto: Google Imagens.)

3 de julho de 2017

PAOLO VILLAGGIO (1932-2017), Ator

Resultado de imagem para paolo villaggio


O ator e comediante italiano Paolo Villaggio morreu hoje em Roma, de problemas decorrentes de diabete. Tinha 84 anos.

Villaggio, que era também escritor e roteirista, estreou no cinema como ator em 1968 e estava ainda em atividade. De seus mais de 70 filmes, pouco mais de uma dezena deles tiveram lançamento no Brasil.

Dentre os filmes conhecidos por aqui, destacam-se "Brancaleone nas Cruzadas" (Brancaleone alle Crociate, 1970), de Mario Monicalli, "Não Toque na Mulher Branca" (Touche pas à la femme blanche, 1974), de Marco Ferreri, "Senhoras e Senhores, Boa Noite" (Signore e Signori, buonanotte, 1976), de Luigi Comencini e outros, "Onde Passaremos as Férias?" (Dove vai in vacanza?, 1978), de Mauro Bolognini e outros, "A Voz da Lua" (La voce della luna, 1990), de Federico Fellini, pelo qual ganhou o prêmio David di Donatello de melhor ator, "O Segredo do Velho Bosque" (Il segreto del bosco vecchio, 1993), de Ermanno Olmi, que lhe deu o prêmio de melhor ator do Sindicato Nacional Italiano de Jornalistas de Cinema, e "Caros F... Amigos" (Cari fottutissimi amici, 1994), de Mario Monicelli.

Ele recebeu vários prêmios pela carreira, inclusive do Festival de Veneza, em 1992, e do Festival de Locarno, em 2000.

Paolo Villaggio nasceu em 30 de dezembro de 1932, em Gênova, Itália. Deixou viúva e um casal de filhos.

(Foto: Google Imagens.)

28 de junho de 2017

MICHAEL NYQVIST (1960-2017), Ator


Resultado de imagem para michael nyqvist


O ator sueco Michael Nyqvist morreu no dia 27 de junho, em Estocolmo, de câncer de pulmão. Tinha 56 anos.

Nyqvist estreou no cinema sueco em 1987 e logo participava de coproduções europeias para, em seguida, conquistar também Hollywood, após o sucesso de "Arn - O Cavaleiro Templário" (Arn: Tempelriddaren, Suécia/Reino Unido/Dinamarca/Noruega/Finlândia/Alemanha/ Marrocos, 2007). Ele atuou em cerca de 50 filmes, mas só uma pequena parte deles chegou ao Brasil, especialmente quando se tratavam de produções internacionais ou de Hollywood.

Dentre os 18 filmes conhecidos no Brasil, destacam-se "Bem-Vindos" (Tillsammans, Suécia/Dinamarca/Itália, 2000), pelo qual ganhou o prêmio de melhor ator no Festival de Gijón, na Espanha, "A Vida no Paraíso" (Sa som i himmeleu, Suécia/Dinamarca, 2004), "Distúrbios do Prazer" (Downloading Nancy, EUA, 2008), "Os Homens que Não Amavam as Mulheres" (Män som hatar kvinnor, Suécia/Dinamarca/ Alemanha/Noruega, 2009), "A Menina que Brincava com Fogo" (Flickan som lekte med elden, Suécia/Dinamarca/Alemanha, 2009), "A Rainha do Castelo de Ar" (Luftslottet som sprängdes, Suécia/Dinamarca/ Alemanha, 2009), "Sem Saída" (Abduction, EUA, 2011), "Missão: Impossível - Protocolo Fantasma" (Mission: Impossible - Ghost Protocol, EUA, 2011), "Os Desconectados" (Disconnect, EUA, 2012), "De Volta ao Jogo" (John Wick, EUA, 2014) e "Amor e Revolução" (Colonia, Alemanha/França/Luxemburgo/Reino Unido, 2015).

Rolf Ake Mikael Nyqvist nasceu em 8 de novembro de 1960, em Estocolmo, Suécia. Entregue recém-nascido a um orfanato, foi adotado quando tinha 1 ano de idade. Deixou viúva a designer de produção Catharina Nyqvist Ehrnrooth, com que tinha um casal de filhos.

(Foto: Google Imagens.)

17 de junho de 2017

JOHN G. AVILDSEN (1935-2017), Diretor

Resultado de imagem para john g. avildsen


O diretor americano John G. Avildsen morreu no dia 16 de junho, em Los Angeles, de câncer no pâncreas. Tinha 81 anos.

Avildsen fez de tudo um pouco no cinema. Entre as outras funções que desempenhou, merecem ser mencionadas, em ordem decrescente de extensão, as de montador, produtor e diretor de fotografia.

Ele estreou como diretor no final dos anos 1960 e atingiu seu ponto culminante na carreira com o filme "Rocky - Um Lutador" (Rocky, 1976), pelo qual ganhou o Oscar de melhor diretor, assim como o prêmio do Sindicato dos Diretores da América.

Como diretor, sua filmografia conta mais de 20 filmes, dentre os quais se destacam "Joe - Das Drogas à Morte" (Joe, 1970), "Sonhos do Passado" (Save the Tiger, 1973), "Karatê Kid - A Hora da Verdade" (The Karate Kid, 1984), "Meu Mestre, Minha Vida" (Lean on Me, 1989) e "O Poder de um Jovem" (The Power of One, 1992).

John Guilbert Avildsen nasceu em 21 de dezembro de 1935, em Oak Park, Illinois. Deixou viúva a atriz Tracy Brooks Swope, mulher do seu segundo casamento, com que tinha uma filha, a atriz Bridget Avildsen. Tinha dois filhos do primeiro casamento, os atores Anthony G. Avildsen e Jonathan Avildsen. Era pai do produtor, roteirista e diretor Ash Avildsen, filho que teve fora dos casamentos.

(Foto: Google Imagens.)