30 de agosto de 2016

GENE WILDER (1933-2016), ator, diretor e roteirista


Resultado de imagem para gene wilder


O ator, diretor e roteirista americano Gene Wilder morreu no dia 29 de agosto, em Stamford, Connecticut, de complicações decorrentes do mal de Alzheimer. Tinha 83 anos.
Tendo começado a carreira como ator de teatro na Broadway, Wilder veio a se revelar um excelente comediante no cinema, em papéis de tipos humanos ao mesmo tempo excêntricos e simpáticos. São inesquecíveis as três comédias que fez sob a direção de Mel Brooks: "Primavera para Hitler" (The Producers, 1967), "Banzé no Oeste" (Blazing Saddles, 1974) e "O Jovem Frankenstein" (Young Frankenstein, 1974). Sua estreia no cinema, como ator, se deu no filme "Bonnie e Clyde - Uma Rajada de Balas" (Bonnie and Clyde, 1967), num pequeno papel engraçado como agente funerário. Sua filmografia engloba apenas 22 filmes e inclui também "A Fantástica Fábrica de Chocolate" (Willy Wonka & the Chocolate Factory, 1971), "Loucos de Dar Nó" (Stir Crazy, 1980) e "Um sem Juízo, Outro sem Razão" (Another You, 1991), que marcou o fim de sua carreira no cinema.
Não fez grandes comédias como diretor, mas realizou quatro longas-metragens razoáveis, sempre escrevendo o roteiro e interpretando o papel principal. São eles: "O Irmão Mais Esperto de Sherlock Holmes" (The Adventure of Sherlock Homes' Smarter Brother, 1975), "O Maior Amor do Mundo" (The World's Greatest Lover, 1977), "A Dama de Vermelho" (The Woman in Red, 1984) e "Lua de Mel Assombrada" (Haunted Honeymoon, 1986).
Nasceu Jerome Silberman em 11 de junho de 1933, em Milwaukee, Wisconsin. Deixou viúva a mulher do seu quarto casamento. Tinha uma filha adotiva, que foi sua enteada do segundo casamento.
(Foto: Google Imagens.)

26 de agosto de 2016

MARVIN KAPLAN (1927-2016), ator


Resultado de imagem para marvin kaplan


O ator característico americano Marvin Kaplan morreu no dia 25 de agosto, em Burbank, Califórnia, de causas naturais. Tinha 89 anos.
Como tinha talento para a comédia, Kaplan estreou no cinema fazendo uma ponta em um bom exemplar do gênero, "A Costela de Adão" (Adam's Rib, 1949), por indicação da atriz Katharine Hepburn, a estrela do filme. Ao longo da carreira, ele atuou em outros 24 filmes, na sua maioria comédias e algumas delas memoráveis. Sua filmografia inclui "Anjos e Piratas" (Angels in the Outfield, 1951), "O Professor Aloprado" (The Nutty Professor, 1963), "Deu a Louca no Mundo" (It's a Mad, Mad, Mad, Mad World, 1963), "A Corrida do Século" (The Great Race, 1965) e "Coração Selvagem" (Wild at Heart, 1990).
Marvin Kaplan nasceu em 24 de janeiro de 1927, em Nova York. Seu único casamento terminou em divórcio.
(Foto: Google Imagens.)

24 de agosto de 2016

Os 100 Melhores Filmes do Século 21, Segundo a BBC Americana


Resultado de imagem para o pianista


A BBC americana divulgou sua lista dos 100 melhores filmes do Século 21, segundo enquete realizada com 177 críticos de cinema de todo o mundo. A lista ficou com 102 filmes, porque três ficaram empatados no 100º lugar. Apenas um filme brasileiro foi incluído: "Cidade de Deus", que tem a França como coprodutora; e o Brasil aparece como coprodutor do português "Tabu". Como prova de que o EUA são a maior potência do cinema, entraram 28 filmes em que são produtores exclusivos e 25 em que são coprodutores.
A seguir, a lista completa, por ordem de classificação:

1 - "Cidade dos Sonhos" (Mulholland Drive, França/EUA, 2001), de David Lynch

2 - "Amor à Flor da Pele" (Faa Yeung nin wa, Hong Kong/China, 2000), de Wonf Kar-Wai

3 - "Sangue Negro" (There Wil Be Blood, EUA, 2007), de Paul Thomas Anderson

4 - "A Viagem de Chihiro" (Sen to Chihiro no kamikakushi, Japão, 2001), de Hayao Miyazaki

5 - "Boyhood - Da Infância à Juventude" (Boyhood, EUA, 2014), de Richard Linklater

6 - "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças" (Eternal Sunshine of the Spotless Mind, EUA, 2004), de Michel Gondry

7 - "A Árvore da Vida" (The Tree of Life, EUA, 2011), de Terrence Malick

8 - "As Coisas Simples da Vida" (Yi yi, Taiwan/Japão, 2000), de Edward Yang

9 - "A Separação" (Jodaeiye Nader az Simin, Irã, 2001), de Asghar Farhadi

10 - "Onde os Fracos Não Têm Vez" (No Country for Old Men, EUA, 2007), de Ethan e Joel Coen

11 - "Inside Llewyn Davis - Balada de um Homem Comum" (Inside Llewyn Davis, EUA/Reino Unido/França, 2013), de Ethan e Joel Coen

12 - "Zodíaco" (Zodiac, EUA, 2007), de David Fincher

13 - "Filhos da Esperança" (Children of Men, EUA/Reino Unido, 2006), de Alfonso Cuarón

14 - "O Ato de Matar" (The Act of Killing, Reino Unido/Dinamarca/ Noruega, 2012), de Joshua Oppenheimer

15 - "4 Meses, 3 Semanas e Dois Dias" (4 luni, 3 saptamâni si 2 zile, Romênia/Bélgica, 2007), de Cristian Mungiu

16 - "Holy Motors" (Idem, França/Alemanha, 2012), de Leos Carax

17 - "O Labirinto do Fauno" (El laberinto del fauno, Espanha/México/ EUA, 2006), de Guillermo del Toro

18 - "A Fita Branca" (Das weisse Band - Eine deutsche kindergeschichte, Alemanha/Áustria/França/Itália, 2009), de Michael Haneke

19 - "Mad Max: Estrada da Fúria" (Mad Max: Fury Road, Austrália/ EUA, 2015), de George Miller

20 - "Sinédoque, Nova York" (Synecdoche, New York, EUA, 2008), de Charlie Kaufman

21 - "O Grande Hotel Budapeste" (The Grand Budapest Hotel, EUA/ Alemanha/Reino Unido, 2014), de Wes Anderson

22 - "Encontros e Desencontros" (Lost in Translation, EUA/Japão, 2003), de Sofia Coppola

23 - "Caché" (Idem, França/Áustria/Alemanha/Itália, 2005), de Michael Haneke

24 - "O Mestre" (The Master, EUA, 2012), de Paul Thomas Anderson

25 - "Amnésia" (Memento, EUA, 2000), de Christopher Nolan

26 - "A Última Noite" (25th Hour, EUA, 2002), de Spike Lee

27 - "A Rede Social" (The Social Network, EUA, 2010), de David Fincher

28 - "Fale com Ela" (Hable con ella, Espanha, 2002), de Pedro Almodóvar

29 - "WALL-E" (Idem, EUA, 2008), de Andrew Stanton

30 - "Oldboy" (Oldeuboi, Coreia do Sul, 2003), de Park Chan-wook

31 - "Margaret" (Idem, EUA, 2011), de Kenneth Lonergan

32 - "A Vida dos Outros" (Der Leben der Anderen, Alemanha, 2006), de Florian Henckel von Donnersmarck

33 - "Batman - O Cavaleiro das Trevas" (The Dark Knight, EUA/Reino Unido, 2008), de Christopher Nolan

34 - "O Filho de Saul" (Saul fia, Hungria, 2015), de László Nemes

35 - "O Tigre e o Dragão" (Wo hu cang long, Taiwan/Hong Kong/EUA/ China, 2000), de Ang Lee

36 - "Timbuktu" (Idem, França/Mauritânia, 2014), de Abderrahmane Sissako

37 - "Tio Bonmee, que Pode Recordar Suas Vidas Passadas" (Loong Boonmee raleuk chat, Tailândia/Reino Unido/França/Alemanha/ Espanha/Holanda, 2010), de Apichatpong Weerasethakul

38 - "Cidade de Deus" (Brasil/França, 2002), de Fernando Meirelles e Kátia Lund

39 - "O Novo Mundo" (The New World, EUA/Reino Unido, 2005), de Terrence Malick

40 - "O Segredo de Brokeback Mountain" (Brokeback Mountain, EUA/Canadá, 2005), de Ang Lee

41 - "Divertida Mente" (Inside Out, EUA, 2015), de Pete Docter e Ronnie del Carmen

42 - "Amor" (Amour, França/Alemanha/Áustria, 2012), de Michael Heneke

43 - "Melancolia" (Melancholia, Dinamarca/Suécia/França/Alemanha, 2011), de Lars von Trier

44 - "12 Anos de Escravidão" (12 Years a Slave, EUA/Reino Unido, 2013), de Steve McQueen

45 - "Azul É a Cor Mais Quente" (La vie d'Adele - Chapitres 1 et 2, França/Bélgica/Espanha, 2013), de Abdellatif Kechiche

46 - "Cópia Fiel" (Copie conforme, França/Itália/Bélgica/Irã, 2010), de Abbas Kiarostami

47 - "Leviatã" (Leviafan, Rússia, 2014), de Andrey Zvyagintsev

48 - "Brooklyn" (Idem, Reino Unido/Canadá/Irlanda, 2015), de John Crowley

49 - "Adeus à Linguagem" (Adieu au langage, Suíça/França, 2014), de Jean-Luc Godard

50 - "A Assassina" (Nie yin niang, Taiwan/China/Hong Kong/França, 2015), de Hou Hsiao-hsien

51 - "A Origem" (Inception, EUA/Reino Unido, 2010), de Chistopher Nolan

52 - "Mal dos Trópicos" (Sud pralad, Tailândia/França/Alemanha/Itália, 2004), de Apichatpong Weerasethakul

53 - "Moulin Rouge - Amor em Vermelho" (Moulin Rouge!, EUA/ Austrália, 2001), de Baz Luhrmann

54 - "Era Uma Vez na Anatólia" (Bir Zamanlar Anadolu'da, Turquia/ Bósnia e Herzegovina, 2011), de Nuri Bilge Ceylan

55 - "Ida" (Idem, Polônia/Dinamarca/França/Reino Unido, 2013), de Pawel Pawlikowski

56 - "A Harmonia Werckmeister" (Werckmeister harmóniák, Hungria/ Eslováquia, 2000), de Bela Tarr e Ágnes Hranitzky

57 - "A Hora Mais Escura" (Zero Dark Thirty, EUA, 2012), de Kathryn Bigelow

58 - "Moolaadé" (Sem título no Brasil, Senegal/Burkina Fasso/ Marrocos/Tunísia/Camarões/França, 2004), de Ousmane Sembène

59 - "Marcas da Violência" (A History of Violence, EUA/Alemanha/ Canadá, 2005), de David Cronenberg

60 - "Síndromes e Um Século" (Sang sattawat, Tailândia/França/ Áustria, 2006), de Apichatpong Weerasethakul

61 - "Sob a Pele" (Under the Skin, Reino Unido/EUA/Suíça, 2013), de Jonathan Glazer

62 - "Bastardos Inglórios" (Inglourious Basterds, EUA/Alemanha, 2009), de Quentin Tarantino

63 - "O Cavalo de Turim" (A torinói ló, Hungria/França/Alemanha/ Suíça/EUA, 2011), de Béla Tarr e Agnes Hranitzky

64 - "A Grande Beleza" (La grande bellezza, Itália/França, 2013), de Paolo Sorrentino

65 - "Aquário" (Fish Tank, Reino Unido/Holanda, 2009), de Andrea Arnold

66 - "Primavera, Verão, Outono, Inverno... e Primavera" (Bom yeoreum gaeul gyeoul genrigo bom, Coreia do Sul/Alemanha, 2003), de Kim ki-duk

67 - "Guerra ao Terror" (The Hurt Locker, EUA, 2008), de Kathryn Bigelow

68 - "Os Excêntricos Tenenbaums" (The Royal Tenenbaums, EUA, 2001), de Wes Anderson

69 - "Carol" (Idem, Reino Unido/EUA, 2015), de Todd Haynes

70 - "Histórias que Contamos" (Stories We Tell, Canadá, 2012), de Sarah Polley

71 - "Tabu" (Idem, Portugal/Alemanha/Brasil/França/Espanha, 2012), de Miguel Gomes

72 - "Amantes Eternos" (Only Lovers Left Alive, Alemanha/Reino Unido/França/Grécia/EUA/Chipre, 2013), de Jim Jarmusch

73 - "Antes do Pôr-do-Sol" (Before Sunset, EUA, 2004), de Richard Linklater

74 - "Spring Breakers - Garotas Perigosas" (Spring Breakers, EUA, 2012), de Harmony Korine

75 - "Vício Inerente" (Inherent Vice, EUA, 2014), de Paul Thomas Anderson

76 - "Dogville" (Idem, Dinamarca/Suécia/Reino Unido/França/ Alemanha/Holanda/Noruega/Finlândia/Itália, 2003), de Lars von Trier

77 - "O Ecafandro e a Borboleta" (Le scaphandre et le papillon, França/ EUA, 2007), de Julian Schnabel

78 - "O Lobo de Wall Street" (The Wolf of Wall Street, EUA, 2013), de Martin Scorsese

79 - "Quase Famosos" (Almost Famous, EUA, 2000), de Cameron Crowe

80 - "O Retorno" (Vozvrashchenie, Rússia, 2003), de Andrey Zvyagintsev

81 - "Shame" (Idem, Reino Unido, 2011), de Steve McQueen

82 - "Um Homem Sério" (A Serious Man, EUA/Reino Unido/França, 2009), de Ethan e Joel Coen

83 - "A.I. - Inteligência Artificial" (Artificial Intelligence: AI, EUA, 2001), de Steven Spielberg

84 - "Ela" (Her, EUA, 2013), de Spike Jonze

85 - "O Profeta" (Un prophète, França/Itália, 2009), de Jacques Audiard

86 - "Longe do Paraíso" (Far from Heaven, EUA/França, 2002), de Todd Haynes

87 - "O Fabuloso Destino de Amélie Poulain" (Le fabuleux destin d'Amélie Poulain, França/Alemanha, 2001), de Jean-Pierre Jeunet

88 - "Spotlight - Segredos Revelados" (Spotlight, EUA/Canadá, 2015), de Tom McCarthy

89 - "A Mulher sem Cabeça" (La mujer sin cabeza, Argentina/França/ Itália/Espanha, 2008), de Lucrecia Martel

90 - "O Pianista" (The Pianist, França/Polônia/Alemanha/Reino Unido, 2002), de Roman Polanski

91 - "O Segredo dos Seus Olhos" (El secreto de sus ojos, Argentina/ Espanha, 2009), de Juan José Campanella

92 - "O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford" (The Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford, EUA/ Canadá/Reino Unido, 2007), de Andrew Dominik

93 - "Ratatouille" (Idem, EUA, 2007), de Brad Bird e Jan Pinkava

94 - "Deixa Ela Entrar" (Lat den rätte komma in, Suécia, 2008), de Tomas Alfredson

95 - "Moonrise Kingdom" (Idem, EUA, 2012), de Wes Anderson

96 - "Procurando Nemo" (Finding Nemo, EUA, 2003), de Andrew Stanton e Lee Unkrich

97 - "Minha Terra África" (White Material, França/Camarões, 2009), de Claire Denis

98 - "Dez" (Dah, França/Irã, 2002), de Abbas Kiarostami

99 - "Os Catadores e Eu" (Les glaneurs et la glaneuse, França, 2000), de Agnès Varda

100 - "Carlos, o Chacal" (Carlos, França/Alemanha, 2010 - minissérie de TV), de Olivier Assayas

100 - "Réquiem para um Sonho" (Requiem for a Dream, EUA, 2000), de Darren Aronofsky

100 - "Toni Erdman" (Sem título no Brasil, Alemanha/Áustria, 2016), de Maren Ade.

STEVEN HILL (1922-2016), ator


Resultado de imagem para steven hill


O ator americano Steven Hill morreu no dia 23 de agosto, em Monsey, estado de Nova York. Tinha 94 anos.
Ator coadjuvante importante, Hill atuou em 23 filmes, entre os quais estão "Mulher sem Nome" (A Lady Without Passport, 1950), que marcou sua estreia no cinema, "Minha Esperança É Você" (A Child Is Waiting, 1963), "Uma Vida em Suspense" (The Slender Thread, 1965), "Yentl" (Idem, 1983), "Perigosamente Juntos" (Legal Eagles, 1986), "Confissões de um Adolescente" (Brighton Beach Memoirs, 1986), "O Peso de um Passado" (Running on Empty, 1988) e "A Firma" (The Firm, 1993), que foi sua última aparição no cinema.
Nasceu Solomon Krakovsky em 24 de fevereiro de 1922, em Seattle, estado de Washington. Era membro fundador do Actor's Studio, escola de formação de atores de Nova York. Deu um tempo na carreira, ficando sem atuar tanto na TV quanto no cinema nos anos de 1968 a 1976. Deixou viúva a mulher do seu segundo casamento, com quem tinha cinco filhos. Tinha outros quatro filhos do primeiro casamento.
(Foto: Google Imagens.)

20 de agosto de 2016

JACK RILEY (1935-2016), ator


Resultado de imagem para jack riley

O ator e comediante Jack Riley morreu de pneumonia no dia 19 de agosto, em Los Angeles, aos 80 anos.
Como comediante, Riley se especializou em tipos humanos neuróticos. Sua carreira, que foi muito mais prolífera na TV, compreende 30 filmes. Teve a sorte de aparecer em três filmes de Robert Altman: "Onde os Homens São Homens" (McCabe & Mrs. Miller, 1971), "Um Perigoso Adeus" (The Long Goodbye, 1973) e "Jogando com a Sorte" (California Split, 1974), e em quatro comédias de Mel Brooks: "A Última Loucura de Mel Brooks" (Silent Movie, 1976), "Alta Ansiedade" (High Anxiety, 1977), "A História do Mundo - Parte I" (History of the World: Part I, 1981) e "S.O.S. - Tem um Louco Solto no Espaço" (Spaceballs, 1987). Merecem ser lembrados também três outros títulos de sua filmografia: "Vício Maldito" (Days of Wine and Roses, 1962), "Frances" (Idem, 1982) e "Boogie Nights - Prazer sem Limites" (Boogie Nights, 1977).
John A. Riley Jr. nasceu em 30 de dezembro de 1935, em Cleveland, Ohio. Deixou viúva e dois filhos.
(Foto: Google Imagens.)

18 de agosto de 2016

ARTHUR HILLER (1923-2016), diretor


Resultado de imagem para arthur hiller


O diretor americano Arthur Hiller morreu no dia 17 de agosto, nos EUA, aos 92 anos.
Hiller realizou mais de 30 filmes, entre 1957 e 2006, mas será sempre lembrado como o diretor do fenômeno chamado "Love Story - Uma História de Amor" (Love Story, 1970), que lhe deu o Globo de Ouro de melhor diretor, fez o público chorar mundo afora e popularizou a frase "Amar é nunca ter de pedir perdão". Da sua filmografia merecem ser lembrados "Não Podes Comprar o Meu Amor" (The Americanization of Emily, 1964), "Forasteiros em Nova York" (The Out of Towners, 1970), "Hospital" (The Hospital, 1971), que lhe deu dois prêmios no Festival de Berlim, "O Homem de La Mancha" (Man of La Mancha, 1972), "Um Homem na Caixa de Vidro" (The Man in the Glass Booth, 1975), "Um Casamento de Alto Risco" (The In-Laws, 1979) e "Cegos, Surdos e Loucos" (See No Evil, Hear No Evil, 1989). Ele recebeu diversos prêmios honorários pela carreira.
Arthur Hiller nasceu em 22 de novembro de 1923, em Edmonton, Canadá. Em 1954, mudou-se para os EUA, onde fez toda a sua carreira, na TV e no cinema. Foi presidente do Sindicato dos Diretores da América, de 1989 a 1993, e da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, de 1993 a 1997. Em 2002, foi homenageado pela Academia com um Oscar especial, denominado Prêmio Humanitário Jean Hersholt. Era viúvo e tinha um casal de filhos.
(Foto: Google Imagens.)

16 de agosto de 2016

ELKE MARAVILHA (1945-2016), atriz


Resultado de imagem para elke maravilha


A atriz brasileira Elke Maravilha morreu hoje de madrugada, no Rio de Janeiro, de complicações decorrentes de uma cirurgia. Tinha 71 anos.
Elke era antes de tudo uma celebridade, graças à sua personalidade exuberante e ao seu trabalho em programas populares na TV. Não foi no cinema uma estrela de primeira grandeza, mas mesmo como coadjuvante fazia com que seus papéis se tornassem marcantes, chegando a ter um filme com o seu nome no título. Sua filmografia conta com 26 filmes, entre os quais estão "Salário Mínimo" (1970), que marcou sua estreia no cinema, "Quando o Carnaval Chegar" (1972), "O Rei do Baralho" (1973), "Xica da Silva" (1976), "Tenda dos Milagres" (1977), "Elke Maravilha Contra o Homem Atômico" (1978), "Pixote - A Lei do Mais Fraco" (1981), "Romance" (1988), "Zuzu Angel" (2006), no qual foi também personagem interpretada por Luana Piovani, e "A Suprema Felicidade" (2010).
Elke Georgievna Grunnup nasceu em 22 de fevereiro de 1945, em São Petersburgo, Rússia, mas veio para o Brasil ainda criança e foi criada em Minas Gerais. Com 24 anos, mudou-se para o Rio de Janeiro para trabalhar como manequim e modelo. Foi também secretária, bibliotecária, bancária, professora e tradutora. Filha de pai russo e mãe alemã, era fluente em russo, alemão e inglês. Foi casada oito vezes.
(Foto: Elke no programa De Frente com Gabi.)

15 de agosto de 2016

FYVUSH FINKEL (1922-2016), ator


Resultado de imagem para fyvush finkel


O ator característico americano Fyvush Finkel morreu no dia 14 de agosto, em Nova York, aos 93 anos.
Mais bem-sucedido no teatro e na TV, a qual lhe deu prêmios, Finkel apareceu em apenas 14 filmes. Entre os filmes em que atuou estão "Confissões de um Adolescente" (Brighton Beach Memoirs, 1986), "Q & A - Sem Lei, Sem Justiça" (Q & A, 1990), "Por Amor ou por Dinheiro" (For Love or Money, 1993), "Nixon" (Idem, 1995) e "Um Homem Sério" (A Serious Man, 2009).
Nasceu Phillip Finkel em 9 de outubro de 1922, em Nova York. Adotou o nome Fyvush, para sua carreira artística, por ser uma transcrição de Phillip para o iídiche. Era viúvo e tinha dois filhos, ambos músicos.
(Foto: Google Imagens.)

13 de agosto de 2016

KENNY BAKER (1934-2016), ator


Resultado de imagem para kenny baker


O ator inglês Kenny Baker morreu hoje, na Inglaterra, aos 81 anos.
Medindo 1,12 m de altura, Baker tinha o tamanho certo para dar vida ao robô R2-D2 da franquia Star Wars, o que aconteceu desde o primeiro filme da primeira trilogia, "Guerra nas Estrelas" (Star Wars, 1977), até o terceiro da segunda trilogia, ou seja, "Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith" (Star Wars: Episode III - Revenge of the Sith, 2005). A sua filmografia de 20 títulos inclui também "O Homem Elefante" (The Elephant Man, 1980), "Os Aventureiros do Tempo" (Time Bandits, 1981),  "Amadeus" (Idem, 1984), "Mona Lisa" (Idem, 1986) e "Labirinto - A Magia do Tempo" (Labyrinth, 1986).
Kenneth George Baker nasceu em 24 de agosto de 1934, em Birmingham, Inglaterra. Era viúvo da atriz Eileen Baker (?-1993), com quem teve dois filhos, os quais não herdaram o nanismo dos pais.
(Foto: Google Imagens.)

5 de agosto de 2016

DAVID HUDDLESTON (1930-2016), ator


Resultado de imagem para david huddleston


O ator característico americano David Huddleston morreu no dia 2 de agosto, em Santa Fé, Novo México, de doença renal e pulmonar. Tinha 85 anos.
Huddleston teve uma carreira mais prolífera na TV. No cinema, apareceu em 38 filmes com sua figura robusta e seu talento para a comédia. Sua filmografia inclui "Rio Lobo" (Idem, 1970), "Má Companhia" (Bad Company, 1972), "Banzé no Oeste" (Blazing Saddles, 1974), "O Trem do Inferno" (Beakheart Pass, 1975), "Busca Frenética" (Frantic, 1988) e "O Grande Lebowski" (The Big Lebowski, 1998), no qual interpreta o papel-título, que o tornou mais conhecido.
David William Huddleston nasceu em 17 de setembro de 1930, em Vinton, estado da Virgínia. Por ter atuado em seis filmes de faroeste, foi homenageado em 2002 com o prêmio Bota de Ouro. Deixou viúva a profissional da área de figurinos Sarah P. Koeppe, mulher do seu segundo casamento. Era pai do ator Michael Huddleston.
(Foto: Google Imagens.)

1 de agosto de 2016

GLORIA DeHAVEN (1925-2016), atriz e cantora


Resultado de imagem para gloria dehaven



A atriz e cantora americana Gloria DeHaven morreu no dia 30 de julho, em Las Vegas, de causas naturais. Tinha 91 anos.
DeHaven estreou no cinema ainda criança, fazendo uma ponta em "Tempos Modernos" (Modern Times, 1936), de Charles Chaplin. Mas sua carreira começou mesmo aos 15 anos, quando foi contratada pela Metro-Goldwyn-Mayer, estúdio que tinha grande prestígio na época especialmente por seus musicais. Como tinha talento também para o canto, não tardou para ser escalada para esse gênero, pelo qual ficou mais conhecida. Sua lista de filmes musicais inclui "A Rainha dos Corações" (Best Foot Forward, 1943), "Duas Garotas e um Marujo" (Two Girls and a Sailor, 1944), "Idílio para Todos" (Summer Holiday, 1948), "Três Palavrinhas" (Three Little Words, 1950), "Casa, Comida e Carinho" (Summer Stock, 1950), "Vinho, Mulheres e Música" (Two Tickets to Broadway, 1951), "Três Marujos em Paris" (So This Is Paris, 1954) e "Cassino das Tentações" (The Girl Rush, 1955). Nestas alturas, praticamente finda a era dos musicais, ela migrou para a TV, só reaparecendo no cinema esporadicamente, como aconteceu em "Won Ton Ton, o Cachorro que Salvou Hollywood" (Won Ton Ton: The Dog Who Saved Hollywood, 1976) e "Dois Parceiros em Apuros" (Out to Sea, 1997), com o qual se despediu do cinema. Ela foi homenageada com uma estrela na Calçada da Fama em 1960.
Gloria Mildred DeHaven nasceu em 23 de julho de 1925, em Los Angeles. Paralelamente à sua carreira no cinema e na TV, ela também cantou em boates e participou de musicais da Broadway. Seus quatro casamentos terminaram em divórcio, sendo os dois últimos com o mesmo marido, com quem teve um casal de filhos, inclusive o ator Richard DeHaven. Teve outro casal de filhos com o primeiro marido, o ator John Payne (1912-1989).
(Foto: Google Imagens.)

26 de julho de 2016

MARNI NIXON (1930-2016), cantora e atriz


Resultado de imagem para marni nixon

 
A cantora e atriz americana Marni Nixon morreu de câncer no dia 24 de julho, em Nova York. Tinha 86 anos.
É possível que, mesmo gostando de cinema, as pessoas não saibam quem foi Marni Nixon, mas a sua voz de soprano é conhecida e admirada em todo o mundo, por ter emprestado a sua voz a grandes atrizes em filmes musicais. Assim foi com Margaret O'Brien em "Jardim Encantado" (The Secret Garden, 1949), com Deborah Kerr em "O Rei e Eu" (The King and I, 1956) e "Tarde Demais para Esquecer" (An Affair to Remember, 1957), com Natalie Wood em "Amor, Sublime Amor" (West Side Story, 1961) e com Audrey Hepburn em "Minha Bela Dama" (My Fair Lady, 1964). Ela ainda contribuiu para melhorar a voz de Marilyn Monroe em "Os Homens Preferem as Louras" (Gentlemen Prefer Blondes, 1953), cantando as notas altas que a voz da atriz não alcançava. Sua voz foi ouvida também em filmes de desenho animado da Disney como "Cinderela" (Cinderella, 1950), "Alice no País das Maravilhas" (Alice in the Wonderland, 1951) e "Mulan" (Idem, 1998). Como atriz, apareceu em "A Noviça Rebelde", no papel da freira Irmã Sophia, que também canta uma canção, e em "Acho que Sou" (I Think I Do, 1997), no papel de Tia Alice.
Nasceu Margaret Nixon McEathron em 22 de fevereiro de 1930, em Altadena, Califórnia. Em 1981, numa entrevista, ela disse que havia emprestado sua voz tantas vezes que sentia como se ela não mais lhe pertencesse, e que por isso tinha perdido parte de si mesma. Era viúva do marido do seu terceiro casamento. Tinha três filhos do primeiro casamento, com o maestro e compositor Ernst Gold (1921-1999). Era mãe do músico roqueiro Andrew Gold (1951-2011) e da cantora e compositora Melanie Gold.
(Foto: Google Imagens.)

20 de julho de 2016

GARRY MARSHALL (1934-2016), diretor, roteirista, produtor e ator


Resultado de imagem para garry marshall

 
O diretor, roteirista, produtor e ator americano Garry Marshall morreu de pneumonia no dia 19 de julho, em Los Angeles, aos 81 anos.
Marshall começou sua carreira na TV como roteirista em 1960 e, na sequência, passou a trabalhar também como ator, produtor e diretor. No cinema,  participou do roteiro de cinco filmes e da produção de sete, tendo estreado na direção com "Médicos Loucos e Apaixonados" (Young Doctors in Love, 1982). Entre seus 18 filmes como diretor estão também "Um Salto para a Felicidade" (Overboard, 1987), "Uma Linda Mulher"  (Pretty Woman, 1990), que foi seu filme de maior sucesso, "Frankie & Johnny" (Frankie and Johnny, 1991), "Noiva em Fuga" (Runaway Bride, 1999), "O Diário da Princesa" (The Princess Diaries, 2001) e "O Maior Amor do Mundo" (Mother's Day, 2016). Como ator, apareceu em 34 filmes, na sua grande maioria de outros diretores como "007 Contra Goldfinger" (Goldfinger, 1964), "Busca Alucinada" (Psych-Out, 1968), "Uma Equipe Muito Especial" (A League of Their Own, 1992), "Abracadabra" (Hocus Pocus, 1993) e "Nunca Fui Beijada" (Never Been Kissed, 1999). Ele ganhou uma estrela na Calçada da Fama, pelo trabalho na TV, e vários prêmios honorários, quase todos pelo trabalho na TV.
Nasceu Garry Kent Maschiarelli em 13 de novembro de 1934, em Nova York. Deixou viúva a atriz Barbara Marshall, com quem tinha três filhos: a atriz e escaladora de elenco de extras Lori Marshall, a atriz Kathleen Marshall e o ator e diretor Scott Marshall. Era irmão da atriz e diretora Penny Marshall e da produtora de TV Ronny Hallin.
(Foto: Google Imagens.)

14 de julho de 2016

HECTOR BABENCO (1946-2016), diretor, roteirista e produtor


Resultado de imagem para hector babenco

 
O diretor, roteirista e produtor brasileiro Hector Babenco morreu na noite de 13 de julho, em São Paulo, de parada cardíaca. Tinha 70 anos.
Um dos mais importantes cineastas brasileiros, Babenco deu visibilidade internacional ao nosso cinema, especialmente nos EUA, onde realizou o filme "Ironweed" (Idem, 1987), com atores excepcionais como Jack Nicholson e Meryl Streep. A sua filmografia de 12 filmes inclui também "O Rei da Noite" (1975); "Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia" (1977), eleito melhor filme pelo público na Mostra Internacional de São Paulo; "Pixote: A Lei do Mais Fraco" (1981), que ganhou prêmios nos Festivais de Locarno, na Suíça, e de San Sebastián, na Espanha, além de quatro associações de críticos de cinema dos EUA; "O Beijo da Mulher Aranha"  (Kiss of the Spider Woman, 1985), que lhe rendeu prêmios nos Festivais de Seattle, nos EUA, e de Tóquio, no Japão, além de uma indicação ao Oscar, sem contar os diversos prêmios de melhor ator para William Hurt, inclusive o Oscar; "Brincando nos Campos do Senhor" (At Play in the Fields of the Lord, 1991) e "Carandiru" (2003), que lhe deu os prêmios de melhor diretor e melhor roteiro no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, além de vários prêmios nos Festivais de Cartagena, na Colômbia, e de Havana, em Cuba.
Héctor Eduardo Babenco nasceu em 7 de fevereiro de 1946, em Buenos Aires, Argentina, mas se naturalizou brasileiro em 1977. Atuou como membro do júri dos Festivais de Cannes, Veneza e Berlim e do Festival Sundance, nos EUA. Deixou viúva a atriz Bárbara Paz. Tinha uma filha chamada Myra Arnaud Babenco.
(Foto: Google Imagens.)

8 de julho de 2016

JOHN McMARTIN (1929-2016), ator


Resultado de imagem para john mcmartin

 
O ator americano John McMartin morreu de câncer no dia 6 de julho, em Nova York, aos 86 anos.
McMartin foi principalmente um ator da Broadway, que lhe rendeu cinco indicações ao prêmio Tony, o mais importante do teatro americano. Teve uma extensa carreira na TV, mas no cinema atuou em apenas 18 filmes, porque optou por continuar na Broadway e viver em Nova York. Mesmo depois de ter conseguido o principal papel masculino em "Charity, Meu Amor" (Sweet Charity, 1969), que ele já havia interpretado no musical da Broadway e que lhe deu a chance de ascender ao estrelato no cinema, se quisesse. Da sua filmografia constam também "Mil Palhaços" (A Thousand Clowns, 1965), que foi sua estreia no cinema, "Todos os Homens do Presidente" (All the President's Men, 1976), "Brubaker"  (Idem, 1980), "Um Tiro na Noite" (Blow Out, 1981) e "Sem Reservas"  (No Reservations, 2007), com o qual se despediu do cinema.
John Francis McMartin nasceu em 18 de novembro de 1929, em Warsaw, Indiana. Era divorciado da atriz Cynthia Baer, com quem tinha duas filhas, a atriz Kathleen McMartin e a roteirista Susan McMartin.
(Foto: Google Imagens.)

7 de julho de 2016

GUILHERME KARAN (1957-2016), ator


Resultado de imagem para guilherme karan

 
O ator brasileiro Guilherme Karan morreu hoje, no Rio de Janeiro, de uma doença degenerativa que o deixou hospitalizado por dois anos. Tinha 58 anos.
Karan começou sua carreira no cinema fazendo um pequeno papel em "Tudo Bem" (1978), de Arnaldo Jabor. Depois atuou em outros 16 filmes, mas poucos mais são dignos de nota como "O Homem da Capa Preta"  (1986), de Sergio Rezende, "Leila Diniz" (1987), de Luiz Carlos Lacerda, "Stelinha" (1990), de Miguel Faria Jr., e "As Alegres Comadres" (2003), de Leila Hipólito, que foi seu último trabalho no cinema.
Guilherme Pontes Karan nasceu em 8 de outubro de 1957, no Rio de Janeiro.
(Foto: Google Imagens.)

5 de julho de 2016

ABBAS KIAROSTAMI (1940-2016), diretor, produtor, roteirista e montador


Resultado de imagem para abbas kiarostami

 
O cineasta iraniano Abbas Kiarostami morreu de câncer no dia 4 de julho, em Paris, aos 76 anos.
Kiarostami, talvez o mais bem-sucedido cineasta de seus país, não fazia filmes para o grande público. Ocupava-se de temas delicados e profundamente humanos (basta atentar para os títulos de seus filmes para perceber isso), com magistral engenhosidade, e participando de todas as fases da produção de seus filmes. O diretor americano Martin Scorsese declarou que ele "representa o mais alto nível artístico no cinema".
Kiarostami começou a dirigir no início dos anos 1970, mas só emplacou seu primeiro sucesso internacional com "Onde Fica a Casa do Meu Amigo?" (Khane-ye doust kodjast?, Irã, 1987), que recebeu três prêmios no Festival de Locarno, na Suíça. Ele realizou cerca de uma dúzia de longas-metragens de ficção, dentre os quais merecem destaque também "Close-up" (Nema-ye Nazdik, Irã, 1990), premiado como melhor filme no Festival de Montréal, no Canadá, e ainda com o prêmio Fipresci, no Festival de Istambul, na Turquia; "E a Vida Continua" (Zendegi va digar hich, Irã, 1992), que ganhou o prêmio da Crítica na Mostra de São Paulo; "Através das Oliveiras" (Zire darakhatan zeyton, Irã, 1994), premiado em vários festivais pelo mundo; "Gosto de Cereja" (Ta'm e guilass, Irã/ França, 1997), que conquistou a Palma de Ouro de melhor filme no Festival de Cannes, na França; "O Vento nos Levará" (Bad ma ra khahad bord, Irã/França, 1999), que recebeu três prêmios no Festival de Veneza, na Itália, e "Cópia Fiel" (Copie conforme, França/Itália/Bélgica/Irã, 2010), prêmio de melhor filme no Festival de Valladolid, na Espanha, e prêmio da Juventude no Festival de Cannes.
Abbas Kiarostami nasceu em 22 de junho de 1940, em Teerã. Era divorciado e tinha dois filhos. Era pai do cinegrafista, montador e diretor de documentários Bahman Kiarostami.
(Foto: Google Imagens.)

NOEL NEILL (1920-2016), atriz


Resultado de imagem para noel neill

A atriz americana Noel Neill morreu no dia 3 de julho, em Tucson, Arizona, aos 95 anos.
Noel começou sua carreira no cinema em 1940 e apareceu em 38 filmes, quase sempre em pequenos papéis e, na maioria das vezes, em comédias ou musicais e sem receber crédito na tela, até conseguir o papel da sua vida no seriado "Super-Homem" (Superman, 1948), tornando-se a primeira atriz a dar vida a Lois Lane, o que se repetiu noutro seriado, "O Homem Atômico Contra o Super-Homem" (Atom Man vs. Superman, 1950). Entre os filmes em que ela recebeu crédito estão "Tentação de Sereia" (Here Come the Waves, 1944), "Herói Ginasial" (High School Hero, 1946), o seriado "As Aventuras de Frank e Jesse James"   (Adventures of Frank and Jesse James, 1948), "O Voo da Morte" (The Sky Dragon, 1949) e o seriado "As Aventuras de Jesse James" (The James Brothers of Missouri, 1949), tendo feito o papel principal em todos estes quatro seriados. Sem receber crédito, ela apareceu em filmes clássicos como "A Dália Azul" (The Blue Dahlia, 1946), "Sinfonia de Paris" (An American in Paris, 1951), "O Maior Espetáculo da Terra"  (The Greatest Show on Earth, 1952) e "Os Homens Preferem as Louras" (Gentlemen Prefer Blondes, 1953). Em 1954, ela praticamente encerrou sua carreira no cinema, tendo começado em 1953 a encarnar novamente Lois Lane na série de TV "As Aventuras do Super-Homem"  (1952-1958), substituindo Phyllis Coates, que deixou a série depois do 26º episódio. Após a série ela se aposentou, só voltando a atuar eventualmente e após interpretar a mãe de Lois Lane em "Superman - O Filme" (Superman, 1978). Apareceu também em "Superman - O Retorno" (Superman Returns, 2006), no papel de Gertrude Vanderworth.
Noel Darleen Neill nasceu em 25 de novembro de 1920, em Minneapolis, Minnesota. Antes de se tornar atriz, foi modelo fotográfica e cantora de sucesso, chegando a ser contratada por ninguém menos que Bing Crosby. Por ter atuado em seis filmes e dois seriados do gênero faroeste, em 1996 recebeu o prêmio Bota de Ouro. Era viúva do maquiador cinematográfico Hal Lierley (1914-1994).
(Foto: Google Imagens.)